Ficha de Reclamação

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Ficha de Reclamação

Mensagem  Katrina Storm em Qui Out 09, 2014 2:05 pm

Ficha de reclamação de
Katrina Storm
NomeKatrina Storm
Idade14
ProgenitorÉolo
MotivoSou um garota alegre, popular e muito animada. Gosto que as coisas aconteçam como eu quero, nem que eu tenha que dar um jeitinho para isso acontecer. Sou como os ventos, um dia eu sou calma, gentil e alegre; mas no outro eu me transformo em um verdadeiro Furacão Katrina, pronta para destruir qualquer coisa na minha frente.
Progenitor mortalMinha mãe é uma pessoa estranha. Ela é fascinada por furacões, e vive dando a volta no mundo para estuda-los. A maior parte do trabalho de Susan Storm, vulgo minha mãe, é como uma repórter que trabalha em locais onde há mais probabilidades de acontecer uma tempestade de ventos.
Defeitos e qualidadesSou bem esperta, dificilmente alguém consegue me enganar. Meu humor pode mudar constantemente, mudando de alegre para triste; triste para sorridente; sorridente para depressiva...
E sou daltônica

Cidade natal e atualNasci na Cidade do México, mas devido as constantes mudanças de minha mãe, agora estou morando no estado de Nova Iorque.
Habilidade✓ Acrobacias: Seu corpo é altamente flexível, além de possuir grande equilíbrio e agilidade.
HistóriaEra o meu segundo dia nessa escola que minha mãe tinha me arranjado para estudar, pelo menos até ela resolver se mudar novamente. Essa aula estava tão tediosa quanto qualquer outra que eu já tinha frequentado até agora. Sério, não dá para frequentar uma escola diferente todo mês, é a pior coisa do mundo. Agora, só para ficar ainda melhor, minha mãe tinha viajado sozinha para Washington me deixando aqui sozinha por três dias. Sério, ela é doida? Deixar uma menina sozinha em uma cidade dessas por três dias? Bem, na verdade eu não estava sozinha, mas quem conta essa minha "babá"? A mulher tinha uns noventa e todos, alem de ter um cheiro muito estranho. Bem, voltando para o que interessa, eu estava na sala de ciências estudando sobre as formas de produção de energia. Essa aula até que estava fácil, afinal, se eu não soubesse explicar o que era energia eólica minha mãe me jogava dentro do próximo tornado que encontrasse. Mas mesmo assim, eu estava quase dormindo na sala. Então chegou o fim da aula e eu tive uma surpresa, a Srª. Dents estava me esperando na saída da escola. Nem acreditei quando vi aquela senhora ali, eu achava que ela já tinha sido mumificada umas cinco vezes. Mas aparentemente ela ainda estava boa para vir me pegar na escola, mesmo sem motivo algum, tipo, nosso apartamento fica duas quadras daqui. Ela falou alguma coisa que eu não entendi direito e começou a andar, sem escolha, eu a segui.
Uma coisa que eu notei: não estávamos indo na direção certa. Ok, eu cheguei mesmo a achar que ela tinha esquecido o caminho de casa. Outra coisa: estava ventando muito. Meus cabelos já tinham se desprendido e agora estavam caindo em meu rosto. Perguntei para a Srª. Dents onde estávamos indo, mas ela não me respondeu. Já estava querendo voltar, mas nesse exato momento ela se virou para mim... E eu realmente quis voltar, só que agora correndo e gritando igual uma louca. A velinha agora era a coisa mais estranha que eu já tinha visto, uma mistura bisara de mulher com duas caldas de cobra. Ok, eu confesso que gritei, mas quem não gritaria se a sua babá virasse uma sei lá o quê? Mas, eu escutei um barulho de metal e a senhora Dents caiu no chão. Atrás dela estava um garoto que não parentava ser muito mais velho que eu, só que ele segurava a tampa de uma lata de lixo. Não consegui falar nada, nem mesmo quando ele correu e me puxou pelo braço junto com ele, qualquer coisa seria melhor que minha babá cobra. Entramos em um táxi e ele falou alguma coisa para o motorista. Então ele começou a falar comigo, falar coisas que para mim não fizeram o minimo sentido. Mas que diabos é um sátiro? Ou uma dracaenae? Pior do que isso, ele disse que estávamos indo para um tal de acampamento de doação de sangue... Não, acho que ele disse meio-sangue. Até finalmente chegarmos lá, ela já tinha me "explicado" um tanto de coisa. Por exemplo: ele tinha me seguido desde que estive em Detroit porque achava que eu era uma meio-sangue. Disse que eu era filha que algum deus grego, e por isso aquele mostro tentou me matar.
Finalmente chegamos, e lá meu cérebro quase pifou, bem, não pifou mesmo, mas foi quase. Com o tempo, acabei me acostumando depois que descobri que meu pai era Éolo, cara, isso faz todo sentido agora.
avatar
Katrina Storm
Filhos de Éolo
Filhos de Éolo

Mensagens : 1
Pontos : 3
Data de inscrição : 09/10/2014
Idade : 17
Localização : Onde o vento me levar :p

Ficha do personagem
HP:
100/100  (100/100)
MP:
100/100  (100/100)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum