Treino com Espada/Escudo

Página 6 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ir em baixo

Treino com Espada/Escudo

Mensagem  Hipnos em Sab Jun 16, 2012 6:21 pm

Relembrando a primeira mensagem :


ESPADAS / ESCUDOS

Nessa área o campista poderá treinar suas habilidades com espadas e escudos. A arena é bastante ampla, contendo bonecos de palha e madeira, alem de alvos moveis e autômatos programados para um combate que exija habilidade e pericia do campista. Há numa estante, espadas de todos os tamanhos e modelos, além de escudos de vários materiais e categorias pra aperfeiçoar a defesa do meio-sangue.
Regras:
* O campista pode fazer até três treinos por dia em áreas diferentes, com ganho máximo de 80 EXP de recompensa.
* Posts com, no mínimo, 8 linhas.
* Os treinos de Espada e Escudo tem um NPC instrutor,Lacaile, para ser usado nos treinos, se desejarem. Sigam a ficha dele caso forem usá-lo.
* O semideus Joe McDean  também é instrutor de espadas e escudos. Para solicitar um treino com ele, mande MP para o mesmo, mas antes leia aqui: sistema de instrutores.



Última edição por Hipnos em Qua Set 11, 2013 9:33 pm, editado 2 vez(es)


★ Call me Hypnos, the Sleeper and Dreams's Keeper ★
Sleep is always a dream, don't you think?

credits @
avatar
Hipnos
Deuses Menores
Deuses Menores

Mensagens : 858
Pontos : 1103
Data de inscrição : 23/01/2012
Localização : Rio Lethe

Ficha do personagem
HP:
999999/999999  (999999/999999)
MP:
999999/999999  (999999/999999)
Arsenal:

Ver perfil do usuário http://lrfl.deviantart.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo


Re: Treino com Espada/Escudo

Mensagem  Karol P. Czekolada em Qui Out 03, 2013 7:54 am

The Mute Demigod

TREINO #001

 Hoje eu estava com preguiça de viver. Quando se tem 80 anos presos no passado, viver num mundo totalmente diferente cansa. Levantei de minha cama bem devagar e me arrastei até o banheiro para tirar o peso do corpo, mas nem banho eu tive coragem de tomar. Só tirei o pijama e coloquei uma roupa comum por cima do corpo gelado. Peguei minha rapieira de gelo eterno, presente de mamãe Quione e parti para um treino de espadas. Tenho que manter o ritmo de treinamento, vai que sou convocado para alguma missão? Eu sei que é quase improvável, mas tenho que estar preparado.

Chegando ao destino proposto por mim, peço ajuda a uma garota para programar um autômato para que treine comigo. Não me pergunte como eu pedi ajuda, mas digamos que eu tive que fazer uma mimica longa até que a garota entendesse o que eu queria. De qualquer forma, vou direto ao centro de um dos tatames e inicio o meu treinamento. Giro o florete algumas vezes e dou a partida. Desfiro alguns golpes de esgrima no robô, mas não surte muito efeito. Creio que não estou colocando muito força nos golpes. Acho que tenho o pulso mole demais para causar algum dano. Porem, quando fui golpear o autômato na diagonal, meu oponente abriu um escuto reluzente de bronze de forma bem repentina, barrando meu ataque. Fiquei surpreso, já que eu não havia pego escudo nenhum para me defender. O gigante de lata deu-me uma trombada e acabei rolando pelo chão. Rapidamente me levantei, apesar de estar levemente duro com pedra. Brandi minha arma e parti para uma nova investida. Ziguezagueei no espaço entre mim e o autômato, desviando dos golpes do mesmo, lhe dando uma ombrada. O homem de ferro não se moveu muito, mas deu uma desequilibrada. Dei um breve passo para trás e bati na cabeça do autômato com o cabo cruzado do meu florete. Ele cuspiu alguns parafusos, mas conseguiu erguer o pé para me lançar longe.

Levar um “chute” de aço no meio do estômago não é nada legal! Enfim, dessa vez havia sangue no chão. Acho que me esqueci de pedir pra menina colocar a simulação no modulo fácil, mas tudo bem, eu estou aqui para treinar, e quanto mais real, melhor. Bati a poeira do corpo, cuspi sangue no chão e estalei meu pescoço. Parti de novo pra cima do robô e dessa vez girei meu corpo para a esquerda, e surpreendi o gigante com um corte de baixo pra cima nas costas. Girei novamente, só que dessa vez com o florete na horizontal, arrancando a cabeça do robô. A vitória é minha. Vi um campista filho de Hefesto vindo arrumar o autômato enquanto eu saía da arena.
@Beani  @Miss


(Análise do treino, pontos de 0 à 20)
• Escrita correta: 19
• Criatividade do texto: 13
• Nível de Combate: 14
• Utilização de Armas: 15

Total de Exp: 61


† Atualizado †


Sweet chocolates are great, but loving YOU is even more...

...Amazing!

credits Killjoy Girl
.
avatar
Karol P. Czekolada
Filhos de Quione
Filhos de Quione

Mensagens : 52
Pontos : 54
Data de inscrição : 24/08/2013

Ficha do personagem
HP:
130/150  (130/150)
MP:
150/150  (150/150)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Treino com Espada/Escudo

Mensagem  Convidado em Sex Out 04, 2013 12:30 pm

Training...
Rick Voese Loveless ф 04/10/13 ás 13:30 ф Arena
The first time I saw you had no intention I fell in love was mere distraction Today I am grateful to be so distracted I'm crazy about you
 Filho do Deus do Amor? Sim! Eu era filho do Deus mais gato que existe, eu amava, simplesmente amava isso. Andava pelo Acampamento meio sangue, não tinha nada para eu fazer. Minha manhã tinha sido ótima, pois comi muito! é, comi, comer é muito bom e eu amo comer muito. Como estava sem fazer nada às 15:00 hr da tarde, resolvi ir para Arena, quem sabe treinar um pouco, né?. Fui caminhando bem devagar até a Arena. 

Chegando à Arena, vou direto para o Arsenal. De cara escolha uma espada, que deveria ter uns 50 centímetros e ele era de ouro, também peguei um escudo que era de Aço, e ele pesava bastante. Saí do Arsenal da Arena e.... Não queria fazer um treinamento sozinho, queria batalhar com Alguém, até que seria legal treinamento em conjunto, tipo... uma batalha sabe?

Avistei um sátiro, ele era estranho, tinha uma cara de '''do mal'', ele estava gritando com os outros semideuses, explicando para eles como se deve fazer. BOM... tomei coragem e fui até o ''Homem Bode''. Fui girando a minha espada. Lambi meus lábios e limpei to suor que escorria de minha testa, o calor estava intenso e eu já suava bastante.  Cheguei bem perto dele e - Olá, me chama Rick e... - Disse, mas antes de terminar de dizer o sátiro já me cortou. - Prazer... Lacaile olha não estou em um bom humor hoje, se quiser batalhar, vamos rápido. - O Sátiro era bem mal-humorado, até sentia um pouquinho de medo do ''infeliz''. 

Lacaile o sátiro instrutor se afastou um pouco de mim, ele já possuí uma espada em sua mão, ele a girou, lambeu seus lábios e começou a saltitar bem devagarinho com suas espada apontada para mim. - Preparado? - Perguntou o sátiro, cheio de determinação para lutar comigo. - É eu acho que... - Sem antes terminar de responder ele já veio me atacando com sua espada, tentando acertar um golpe mortal em minha cabeça, ou me esquivo ''na cagada'' , mas ele pula e acerta um patada em minha coxa. Aqueles cascos era duros e doíam pra... Esquece! Levantei mancando e - Não sou muito bom com espadas, prefiro os arcos, vamos deva... - Ele queria mesmo era me matar, só pode. Veio me atacando com intenção de acertar a minha barriga e minhas pernas, defendo com minha espada e dou um pulo. Estava na minha hora de contra-atacar, corri rodei minha espada e tentei atacá-lo  tentei acertar suas pernas horrendas de bode, mas como ele pulou alto e me acertou um chute duplo em meu peito, voei um pouco longe e um pouco de sangue escorria de minha boca. - Sátiro maldito! -  Exclamei cheio de ódio do sátiro. Levantei-me rápido e fui o atacando, fui com um golpe com minha espada de ouro e tentei acertar sua barriga, mas ele defendeu, rapidamente fui com um em seu braço, pegou raspando e um pouco de sangue escorreu. - Parabéns fraquinho, conseguiu pelo menos me ferir de leve. - Disse o Sátiro soltando uma risadinha debochado. Eu não sou fraquinho, apenas não domino bem espadas, mas isso não tinha nada haver, tenho que ter um pouco de Agilidade também. Arranquei a minha camisa, ficando apenas com uma bermuda jeans. Asas cresceram de minhas costas. - Sou filho do Cupido, tenho asas como ele. - Disse voando rapidamente em direção do Sátiro, estava à uns dois metros de altura dele. Desci voando com bastante intensidade e tentei acertar com minhas espada a sua cabeça, ele defende com sua própria espada. Dou um ''mortal'' no alto e acerto com meu pé em sua cabeça, fazendo-lhe cair ao chão, voei para cima dele, mas ele levanto com um salto muito rápido e uma patada voou em minhas asas. Doeu pra c*****e o golpe, até acho que quebrou uma de minhas asas. Caí girando para trás, fiquei distante dele. Ele levantou e veio correndo em minha direção, olhei para ele, eu ainda no chão, tirei algumas de minhas penas que podem ser usadas como flechas e lancei em sua perna de bode. Ele caiu ao chão, me levantei e correndo na direção do mesmo, pulei encima dele e coloquei minha perna em seu pescoço o ameaçando de morte. - Acho que você perdeu ahahha'.  -  Disse soltando uma risada alto, estava vitorioso, isso me deixava bem feliz. - É, ganhou, acho que já pode sair de cima de mim agora e ir embora, nosso treino foi bom, volte sempre. - Levantei de cima dele, ele levantou do chão e foi andando para longe de mim. Ele era bem mau-humorado, mas enfim... tinha que ir para a enfermaria cuidar dos meus ferimentos. Fui para a enfermaria mancando, um semideus curandeiro de Asclépio apareceu na Arena e me ajudou ir até a enfermaria.



Poderes Usados:
Lovely Wings: Assim como Eros possuí asas, suas crias, se merecedoras, serão concedidas asas permanentes. Elas são alvas como a neve com as pontas rajadas de rosa. Não são gigantes, mas sim delicadas que permitem o usuário voar mais alto que o normal e respirar melhor quando está em alturas elevadas. As penas das asas podem ser arrancadas e funcionam como flechas que causam dano direto ao MP do oponente. 



Insensível: Apesar de possuírem uma beleza extrema e aparentarem ser sensíveis e puros, os filhos de Eros são extremamente insensíveis, nunca se deixando levar pelos sentimentos alheios e sendo capazes de ver uma pessoa sofrer sem ter miníma misericórdia.


(Análise do treino, pontos de 0 à 20)
• Escrita correta: 19
• Criatividade do texto: 17
• Nível de Combate: 13
• Utilização de Armas: 13

Total de Exp: 62


† Atualizado †

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Treino com Espada/Escudo

Mensagem  Claire von Houste em Dom Out 06, 2013 10:01 pm


The Power of a Blade!

"Qual o real motive de viver nesse mundo? Matar? Viver em guerra contra seres mais fortes e experientes do que eu? Não faz sentido!" A jovem caminha de forma pensativa em direção à arena. Estava no acampamento a muito pouco tempo, porém sabia que para continuar viva naquele mundo tinha que treinar, melhorar suas habilidades, se  não virar à óbito no primeiro confronto complicado que viesse a ter. Estava com seu escudo preso no antebraço esquerdo e sua espada, se encontrava em seu estado de tatuagem de floco de neve no braço direito.

Não demorou muito para chegar ao seu destino. Adentrando na arena, viu uma área muito ampla e cheia de bonecos para que os campistas pudessem treinar e aperfeiçoar suas habilidades com vossas determinadas armas. Aproximou-se de um dos bonecos. “Ativou” sua espada e girou-a duas vezes por entre os dedos. Depois dessa “brincadeira” segurou firmemente sua arma e encarou o oponente de madeira à sua frente. De forma desajeitada desferiu um golpe  direto contra o boneco, porém se ele fosse um oponente real não teria causado dano quase que nenhum, fora um péssimo golpe, essa era a verdade. Fez mais três movimentos, um de cima para baixo, outro da direita para a esquerda e o terceiro em diagonal, juntando os dois anteriores. Os golpes foram melhorando, mas ainda estavam ruins, para a infelicidade da jovem.


"Mais que droga! Isso é mais difícil do que eu pensei." Não estava cansada, porém o fato de não conseguir realizar um golpe bom lhe desanimava bastante. Antes de começar mais um sequência de golpes, fora interrompida por uma voz: - Vai com calma. O uso de uma espada não é algo voltado para a violência, é uma arte, você tem que ser leve ágil, é como se fosse uma dança. - A jovem olhou para trás e viu um garoto loiro, que fazia movimentos encantadores, era como se, realmente, estivesse dançando. - Meu nome é Lacaile e, bem, sou o instrutor daqui. Sendo assim, vim lhe ensinar a como usar sua arma de ataque e a de defesa também. A jovem ficou um tempo sem falar, apenas pensando."Tá explicado o motivo de tanta habilidade."

- E então? Vai que querer a minha ajuda, ou prefere tentar aprender sozinha? - Perguntou Lacaile. Claire não tinha o que pensar, queria conseguir manusear uma espada da  mesma forma que o jovem sátiro que, diferente dos demais, era branco e loiro. - Sim, vou aceitar sua oferta. - Falou de uma maneira completamente fria. O jovem se aproximou e meio que como se fosse abraçar a jovem, passou os braços pelo seu tronco, porém segurou a mão direita dela e moveu-a para baixo e girou um  pouco seu pulso. Sendo assim, agora segurava de forma correta a espada: - Pronto. É  assim que deve ficar sua empunhadura. -  Então ele se  posicionou ao lado da filha da neve. Estalou os dedos, chamando a atenção dela e, então desferiu um golpe perfeito da direita para a esquerda, que  resultou em um corte bastante profundo no boneco de madeira.

- Agora é a sua vez. - Afirmou. Quando ela fora repetir o movimento, ele lhe parou, colocando a lâmina de sua arma contra a dela. Um som metálico ecoou pela arena. - Ei? O que deu em você? Não é para eu repetir o seu movimento? - Perguntou de forma bruta. A surpresa estava explícita em sua feição. - Não nisso! Em mim. - Respondeu friamente. O olhar de ambos  se cruzaram, uma mais frio que o outro. Um novo duelo estava prestes a acontecer na arena. Claire deu um salto para trás e posicionou-se de forma adequada, com a empunhadura correta e com o escudo afrente do tronco, para o caso de um investida de seu oponente. Ambos  ficaram um bom tempo apenas se olhando, analisando e andando em circulo, de forma sincronizada. Ela ameaçou ir, porém depois de dar um passo para frente saltou para o lado e sorriu, enquanto via o sátiro avançando. Abaixou um pouco a cabeça. Respirou fundo. Não iria agir que nem uma criança, tinha que pensar bem e fazer algo na hora certo, não muito cedo, não muito tarde e sim no momento ideal. Assim fiz. Esperou e, quando viu que era o momento certo, girou seu corpo para o lado e, com a lâmina da espada, desferiu um golpe da esquerda para a direita, que acertou o escudo de seu oponente que, no último instante conseguiu defender o golpe.

"Droga!" No mesmo instante o sátiro revidou, aproveitando-se da proximidade entre os dois  corpos, atacou diretamente, com a intenção de perfurar e não de cortar. Claire  tentou saltar para o lado, porém não conseguiu desviar por completo, tivera a lateral de seu tronco levemente perfurado pela espada de Lacaile. As primeiras gotas de sangue haviam sido derramadas e, para a infelicidade da filha da neve, era do seu sangue. Prendeu um grito de dor e, com a cabeça quente, avançou, desferindo uma sequência de  golpes em diagonal, porém apenas um acertou o jovem, bem no rosto, por onde um fiapo de  sangue  escorria. No mesmo instante ele, que antes sorria ironicamente, fechou os lábios e ficou mais sério do nunca. Um duelo direto começou a acontecer. O som dos metais se colidindo era a música que embalava a batalha. Os escudos e as espadas eram os protagonistas, praticamente todos os golpes acabaram sendo barrados por tais, ou seja, poucos foram os ferimentos que  os adolescentes tiveram.

Depois de algum tempo, voltaram a se afastar e fixaram seus olhares uns nos outros. A tensão estava no ar. Claire flexionou seus joelhos e esperou. Lacaile avançou com fúria, enquanto fazia acrobacias com a espada. Quando ele foi desferir seu golpe, a jovem fora mais rápida, abaixou-se e, com a perna esquerda, dera uma rasteira do sátiro, em seguida colocou a ponta da espada na garganta de seu oponente e sorriu. Estava contando vitória antes da hora. Foi a vez do jovem dar uma rasteira nela e, então ficar por cima. Cortou seu rosto levemente e a ajudou a se levantar. Ele sorriu e saiu andando. Ela, por sua vez, apenas penas seguiu para a enfermaria, de cabeça baixa.


(Análise do treino, pontos de 0 à 20)
• Escrita correta: 20*
• Criatividade do texto: 17
• Nível de Combate: 12
• Utilização de Armas: 14

Total de Exp: 63

* Seu único erro está em negrito no texto. O correto é "vir a óbito", e não "virar à óbito", já que óbito se refere a um momento específico em que se ocorreu uma morte, sem acepção a um cadáver, ou algo do gênero. Além disso, só se usaria o crase no plural. Não influenciou, porém, na nota final. Mais atenção e parabéns.


† Atualizado †
avatar
Claire von Houste
Filhos de Quione
Filhos de Quione

Mensagens : 10
Pontos : 12
Data de inscrição : 05/10/2013
Idade : 20
Localização : Te interessa?

Ficha do personagem
HP:
110/110  (110/110)
MP:
110/110  (110/110)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Treino com Espada/Escudo

Mensagem  Claire von Houste em Seg Out 07, 2013 4:38 pm


The Power of an action!

Mais um dia estava começando e, novamente, a jovem filha de Quione se encontrava na arena, prestes a iniciar mais um treino. Dessa vez seria um pouco mais complicado, porém nada que fosse impossível. À sua frente, Lacaile.  Antes que alguém pudesse falar algo, um barulho foi ouvido, Claire se virou e percebeu que, dentro de uma jaula havia um filhote de um Cão Infernal, foi quando o sátiro começou a falar:

– Bom, o seu oponente hoje será aquele Cão Infernal, se eu perceber que você precisa de ajuda, vou interferir, não precisa se preocupar. Podemos começar?

– Não tem outro jeito né, vamos logo com isso. – Disse a jovem enquanto ativava sua espada e prepara seu escudo. Estava claro que ela não queria estar ali, talvez fosse inadequado isso, porém era necessário. Enquanto isso, Lacaile se posicionava encima da jaula e, com a autorização da jovem, abriu o recipiente, a fera que estava lá dentro saiu imediatamente, sua velocidade era extraordinária.

Os olhos da campista se encontraram com os da fera, Claire permanecia atenta, em sua mente um milhão de ideias se formavam, tinha que agir rápido. A fera avança na sua direção, com paciência, esperou até a hora certa e, quando esta chegou, saltou para a direita e, com a espada, desferiu um golpe de baixo para cima, que acertou, de leve, a perna traseira. Com um rolamento, voltou à posição, porém era consideravelmente tarde, o filhote de Cão Infernal já estava a uma distância mínima dela. Não deu tempo de reagir, tentou se defender com o escudo, porém não fora rápida suficiente, as garras da fera chocaram-se com o corpo da filha da neve, que teve seus ombros perfurados. Naquele momento pensou que seria o seu fim, porém não podia morrer, segurava firmemente sua espada e com força de vontade, acima de tudo, levantou um pouco e o braço e a mão e, consequentemente, a lâmina da espada, que perfurou coxa esquerda da fera, em seguida, com o escudo, tentou afastar o cão de cima dela.

Isso deu certo, o oponente gritou quando sentiu a espada penetrando em seu corpo, e, como estava distraído com a dor, a jovem conseguiu afasta-lo, jogando o mesmo a alguns centímetros para frente. Fora suficiente para que ela se levantasse e, tentando ignorar a dor, mantinha sua espada pronta para derramar mais sangue e seu escudo preparado para lhe defender. A dor era intensa, o sangue escorria de seus ombros, manchando toda a sua roupa. Sabia que aquele ferimento poderia causar problema, por isso, tinha que acabar com aquilo e rápido, porém não sabia como. Resolveu tomar atitude e avançar desta vez, seus passos era velozes, corria em zigue-zague, assim que chegou a uma distância pequena, saltou e, tentou cravar a espada nas costas do cão, que, por sua vez, agiu rápido, com a pata dianteira esquerda, arranhou a lateral do rosto a filha de Quione, que, além de ser ferida, fora arremessada longe.

Seu corpo se chocou com a parede da arena, a dor era quase que insuportável, estava sangrando e com muita dor nas costas. Viu o cão avançando novamente, manteve a calma, sabia que não poderia perder a cabeça, quando o mesmo saltou, Claire fez um movimento com o braço esquerdo de forma que o escudo atingisse a cara do oponente, o que lhe deu um certo alívio. Olhou ao redor, viu a jaula aberta, com a corrente segurando a sua porta. Sorriu. Tinha um plano. Levantou-se e se posicionou na direção do cão, assoviou com a intenção de chamar a atenção da besta, que, na mesma hora se levantou e, com sede de sangue, avançou ferozmente. A filha de Quione começou a correr na direção da jaula, o cão se aproximava cada vez mais, por um momento pensou que aquilo não havia sido uma boa ideia, mas quando viu a jaula bem a sua frente se sentiu feliz, saltou para cima da mesma quando estava quase que dentro dela e, quase que imediatamente o cão adentrou na jaula, sua velocidade era tanta que ele não conseguiu parar e acabou se chocando com a parede da prisão. Na mesma hora Claire cortou a corrente que segurava a porta, fazendo com que a mesma caísse e fechasse, consequentemente, a jaula, deixando ali dentro o filhote de Cão Infernal.


– Parabéns, você conseguiu vencer sem a minha interferência, porém ao meu ver tinha que ter matado o Cão Infernal, mas tudo bem.

Depois disso, ela sorriu e desmaiou ainda encima da “prisão”, caindo assim ali de cima, a sua sorte foi que o sátiro não lhe deixou se chocar com o chão. Vendo a gravidade dos ferimentos, o campista levou-a diretamente para a enfermaria, onde seus ferimentos foram tratados.


(Análise do treino, pontos de 0 à 20)
• Escrita correta: 20
• Criatividade do texto: 15
• Nível de Combate: 16
• Utilização de Armas: 18

Total de Exp: 69


† Atualizado †
avatar
Claire von Houste
Filhos de Quione
Filhos de Quione

Mensagens : 10
Pontos : 12
Data de inscrição : 05/10/2013
Idade : 20
Localização : Te interessa?

Ficha do personagem
HP:
110/110  (110/110)
MP:
110/110  (110/110)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Treino com Espada/Escudo

Mensagem  Convidado em Sab Out 19, 2013 1:17 pm


 
 
3º Treino/Espada e Escudo
Rick Voese Loveless ф 19/10/13 ás 14: ф Arena

 
The first time I saw you had no intention I fell in love was mere distraction Today I am grateful to be so distracted I'm crazy about you

 
Estava dormindo tranquilamente em meu chalé, meu dia anterior havia sido ótimo, saí com alguns de meus amigos do Acampamento e conheci um... é... um menino bem legal, acho que o nome dele é  Eliot, filho de Hipnos. Acordo todo feliz com um sorriso lindo no meu rosto lindo. Passo a mão em meus cabelos e... parece que a preguiça ganhava, não estava afim de levantar, tipo... não mesmo, mas eu tinha né?. Me levantei devagarzinho, fui meio que cambaleando de sono até o banheiro e tomei um precioso e longo banho. 

Saí do banheiro e fui direto para a sala assitir TV. Sentei-me ao sofá e liguei a televisão. Passei por vários canais e nada... NADA de interessante para assistir. Acho que era melhor eu ir na Arena, sei lá... dá um treinada talvez. Vou até o espelho e me ajeito um pouco, vou até a porto e saio do meu chalé, em direção à Arena. 

Cheguei na Arena, não tinha quase ninguém ao local. Fui até o Arsenal para poder escolher minha arma à treinar. Que tal espadas? É eu tinha bastante perícia com arcos mas espadas... sou apaixonado por elas. Peguei uma espada longa feita de prata e um escudo avermelhado bem pesado e super resistente. Caminhei até onde são feitos os treinos com Autômatos, limpei o suor em minha testa e pedi para que algum Instrutor trouxessem alguns autômatos para eu poder realizar o meu lindo treino. Trouxeram cinco autômatos, todos com espadas em suas mãos, mas as espadas eram bem maiores e claro... deveriam ser muito mais pesada com a minha. 

Pedi para que ligassem e programassem os Autômatos para me atacar, os cinco foram ligados de uma única vez. Estava um pouco assustado, mas eu já estava acostumado com esses malditos autômatos. Antes de eles me atacarem eu os ataquei. Fiquei invisível e fui direto atacá-los. Como eu estava invisível, eles não poderiam me ver, pulei e atingi com minha espada o pescoço de um dos autômatos e depois girei minha espada em minha mão e cravei na barriga do outro autômato, um soco veio em minha barriga e eu voei alguns metros para trás... mas como? Eu estava invisível pelo que eu lembre. Claro... são robôs, talvez eles conseguem ver pessoas invisíveis, certo?. Apareci, limpei o sangue que escorria pelo canto de minha boca e fui novamente atacá-los. Asas saíram de minhas costas e eu acabei rasgando minha camisa. Ao ar, tentei desferir um golpe na cabeça de uns dos autômatos, mas ele defendeu com sua própria espada. Subi e desci bem veloz com minha espada apontada para a cabeça do robô, a mesma crava na cabeça do autômato, logo mais um está destruído. 

Faltavam apenas dois autômatos e eles já viam em minha direção. Deu um salto e voei bem alto, desci dando vários giros e com minha espada ia acertar novamente a cabeço do autômato, ele defende com sua espada, então voo para o outro autômato bem rápido, com minha espada apontada para a barriga do mesmo. Não tinha como ele defender então, minha espada foi cravada com sucesso. Mas antes do robô ''morrer'', ele me pega pela asa, dá um giro e me joga bastante longe, vou capotando pelo chão. Fiquei meio ralado e sangue escorria pelo minha boca, minha asa é bastante delicada e ela foi ferida. O autômato vinha correndo na minha direção. Não consegui me levantar do chão, não tinha força. Puxei minha pulseira e ela se transformou em um arco, puxei a corda do arco e um flecha vermelha de energia foi criada, disparei na direção da cabeça do autômato e assim foi acertada, o robô logo caiu ao chão. Alguém veio me socorrer e logo meu levou para a enfermaria de Albafica.

 
 


(Analise do treino, pontos de 0 à 20)
Escrita correta: 19
Criatividade do texto: 18
Nível de Combate: 17
Utilização de Armas: 16
Total de Exp:  70

★Atualizado★
 

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Treino com Espada/Escudo

Mensagem  Seth O. Drowsiness em Dom Out 27, 2013 7:23 pm



E que comecem os treinos!




 Eu nunca tinha nem ao menos tocado em uma espada antes, portanto vocês já devem imaginar o quão ruim eu sou. Sem exageros, me imaginava tropeçando no ar, dando uma cambalhota e me machucando. Se bem que considerando minha facilidade com acrobacias eu possivelmente não iria ser tão desastrada assim. Me encaminhei para a Arena com o sol quase se pondo no céu. Passara o dia quase todo dormindo, como uma boa filha de Hipnos, então não era de se estranhar o meu "atraso" para o treino. Romeo, porém, ainda estava por lá quando cheguei - havíamos combinado de treinarmos juntos hoje.
Desculpe o atraso, Romeo.
Onde você esteve, Seth? Fiquei esperando por você durante o dia todo e nada da senhorita aparecer.
Estava resolvendo uns problemas... Coisa de família. Eu e meus irmãos, me refiro aos filhos de Hipnos como um todo, estávamos reunidos para resolver.
Teoricamente não estava mentindo: estávamos decidindo por quanto tempo um filho de Hipnos deve dormir para ser considerado um bom filho, mas fazíamos isto enquanto dormíamos. Me encaminhei até as estantes com armas e escolhi uma espada curta, simples. Não havia nada demais nela e tão pouco havia algum ornamento ou enfeite. Era ideal para aquele treinamento.
Me ajuda? Não sei usar uma espada.
O rapaz se aproximou de mim, revirando os olhos e foi comigo até um fantoche qualquer para me ensinar a manejar a espada. Minha postura estava inicialmente errada, então ele me ensinou a postura certa: ombros abaixados, coluna reta, cabeça erguida e espada a cerca de 10 centímetros do corpo e pés ligeiramente separados e com o peso dividido entre eles de forma igual. Ele avaliou o jeito que eu segurava a arma e ergueu a sobrancelha ao ver que a segurava com as duas mãos, uma por cima da outra, apesar da arma ser pequena e leve.
Já manejou alguma arma parecida antes, Seth?
Não, nunca. Sei usar apenas chicotes, correntes e arcos.
Fez-se silencio e ele olhou concentrado para mim. Ignorando aqueles olhos cinzentos intensos, suspirei e decidi começar logo o treinamento. Era meio impaciente e estava começando a me irritar com o garoto que pouco ajudava. Investi contra o fantoche para realizar um corte de baixo para cima nele na altura do abdômen, de forma rápida e, bem, só não cai porque era muito equilibrada mesmo. A arma voou de minha mão e errei o golpe. Olhei para a arma caída a  cinco metros e fui busca-la reclamando sobre alguma coisa que nem eu mesma entendi o que era.
De volta ao fantoche, retomei a postura correta e tentei mais um golpe, desta vez mais devagar. Era uma estocada desta vez e saiu um pouco melhor. Arrumei a postura e recuei dois passos, movendo a espada na frente do corpo como para me defender de golpes de um oponente. Me embolei em meus pés, quase caindo, mas a mão firme de Romeo me ajudou a retomar o equilíbrio.
Vá com calma, Seth, deixe-me lhe mostrar.
Ele tomou a arma de minhas mãos e começou um bailar lento e ritmado contra o fantoche. Esquerda, direita, esquerda, cima, baixo ombro. Depois, me devolveu a espada e indicou o fantoche com um convite silencioso. Tentei imitar os movimentos dele, me atrapalhando muito no começo, mas aos poucos fui pegando o jeito e pude ir modificando a forma que fazia as coisas, melhorando meus movimentos. Ainda não tinha muita técnica, mas a espada foi começando a cair menos de minha mão. Sequei a mão, suada, várias vezes e recomeçava a sequencia de novo. Cima, baixo, direita, esquerda, estocada, por cima do ombro, no pulso, entre as costelas, tropeça nos próprios pés. Chegava a ser cômico os meus quase sucessos seguidos de falhas e desastres.
Por fim, cansada, fiz uma última sequencia - a melhor de todas, que misturava a ordem: por cima do ombro, estocada, baixo, esquerda, cima, direita, costelas, cotovelo, pulso. Por fim, estava satisfeita com meu quase avanço naquele dia e devolvi a espada ao lugar que pegara.
Mas... Já?
Um pouco de cada vez, Romeo. Não tenho muita energia, você sabe.
Depois disto, me dirigi ao chalé de novo para tomar banho e ir jantar.



com: Romeo
onde: Arena do Acampamento
progenitor: Hipnos
grupo extra: Nenhum
ouvindo: Indestructible
notas: Nothing
post: 139



observações

- Primeiro treino com a arma;
- Sem poderes que afetem;
- Arma cedida pelo Acampamento;
- O npc é filho de Atena;
- Perdão por erros gritantes;
coded by @lilah for cg





(Analise do treino, pontos de 0 à 20)
Escrita correta: 20
Criatividade do texto: 17
Nível de Combate: 17
Utilização de Armas: 17
Total de Exp:  71

★Atualizado★
 


Última edição por Hipnos em Dom Nov 03, 2013 4:08 pm, editado 3 vez(es) (Razão : Correção, template.)


Seth O. Drowsiness
Rebel Queen • Sexy • The One Better Than You • Your Nightmare


thanks thay vengeance @ cupcake graphics
avatar
Seth O. Drowsiness
Filhos de Hipnos
Filhos de Hipnos

Mensagens : 139
Pontos : 138
Data de inscrição : 12/01/2012

Ficha do personagem
HP:
120/120  (120/120)
MP:
120/120  (120/120)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Treino com Espada/Escudo

Mensagem  Paul Hendrix em Seg Nov 18, 2013 10:47 am

A barulheira da arena ainda era incomum para mim, eu já sabia o que iria encontrar, mas sempre me impressionava com os barulhos, era como estar em um jogo de futebol, misturado com uma luta de boxe, aquilo me dava calafrios na espinha.
Haviam outros campistas treinando uns contra outros por toda a arena, eu não tinha habilidade nenhuma com isso, então fui para o lugar onde os iniciantes tinham aulas, havia apenas eu e mais um garoto filho de Quione, ele apertou minha mão e disse:
-Olá, eu vou ser seu instrutor hoje, Lacaile está fora um uma escolta...
Eu não fazia ideia de quem era Lacaile, então não me importei. Tirei o escudo de minha mochila e perguntei ao treinador:
-Você poderia me treinar na parte de defesa com escudos, eu queria aprender isso antes de qualquer outra coisa.
-Claro. - Respondeu o treinador um pouco entediado- Mas você terá que segurar sua espada na outra mão, mesmo que não ataque você deve aprender a se defender ao mesmo tempo que mantém uma pose ofensiva.
Desembainhei minha espada e a observei por um breve tempo antes de olhar para o treinador. Então ele me ensinou uma série de movimentos curtos, defesa lateral, esquiva frontal e defesa angular. Eu fui um pouco melhor que muito horrível então de 10 ataques que o treinador desferiu em mim consegui aparar totalmente 3 e aliviar 5, com certeza eu deveria treinar mais, pois sem defesa eu seria apenas mais um semideus no cemitério do acampamento.
Então o treinador pediu para que eu o atacasse para que ele mostrasse como se fazia. Tentei usar uma série de movimentos que eu vi outro campista fazendo, eu deveria desferir um golpe frontal pata que ele tentasse desviar da estocada e então uma sequência de dois rápidos ataques angulares e então uma forte estocada vindo de baixo para cima. Tentei variações dessa sequência por alguns minutos até que por instinto depois do primeiro ataque angular eu rodei em meus calcanhares e ataquei a perna do instrutor, ele perdeu a postura e eu aproveitei para usar a parte plana do escudo para acerta-lo no tronco e derruba-lo, foi um golpe de sorte, mas fez eu me sentir bem pelo resto do dia.

(Analise do treino, pontos de 0 à 20)
*Escrita correta: 15
*Criatividade do texto: 14
*Nível de Combate: 10
*Utilização de Armas: 11
Total de Exp: 50
★Atualizado★
 
avatar
Paul Hendrix
Filhos de Macária
Filhos de Macária

Mensagens : 45
Pontos : 49
Data de inscrição : 21/09/2013

Ficha do personagem
HP:
120/150  (120/150)
MP:
135/150  (135/150)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Treino com Espada/Escudo

Mensagem  Lucas Green em Seg Nov 18, 2013 4:00 pm

O sol já estava se pondo, estava bem quente decidi ir para a arena treinar. Chegando lá um garoto veio falar comigo. Ele disse que era filho de ares e ia treinar comigo. Peguei meu escudo de Apolo e minha Espada. 

Começamos a lutar. Ele tentava me acertar nos braços, mas eu consegui me esquivar todas as vezes que ele tentou. Peguei minha espada paralisante acertei na perna do garoto. Ele ficou sem mexer a perna por alguns minutos.

Quando o efeito paralisante passou ele me deu um chute na perna, cai no chão ele conseguiu fazer um corte no meu braço. Tentou acertar minha barriga com a espada, consegui defender com o escudo. Me levantei consegui fazer um corte em seu braço.

Ele continuava tentando me acertar nos braços,ele conseguiu fazer 3 cortes. Continuei firme mesmo com um pouco de dor nos braços, Acertei a barriga dele com a espada. Ele ficou paralisado consegui fazer alguns cortes nos braços dele.

Ele me acertou nas pernas, cai no chão mas levantei. Não lhe permitindo fazer nenhum ferimento em mim. Tentei acerta-lo com minha espada mas ele se defendeu com um escudo. Acertei suas pernas com a ponta da espada, ele caiu no chão.

Ajudei o menino a levantar e ele disse: - Você luta bem, acabou o treino. E eu respondi: - Obrigado, você também luta muito bem. Sai da arena e fui para o meu chalé.

(Analise do treino, pontos de 0 à 20)
*Escrita correta: 7
*Criatividade do texto: 10
*Nível de Combate: 7
*Utilização de Armas: 10
Total de Exp: 34
★Atualizado★
 

Seria muito interessante você revisar teu texto, pois apesar de ser criativo, há muitos furos e lapsos temporais.
avatar
Lucas Green
Filhos de Apolo
Filhos de Apolo

Mensagens : 32
Pontos : 32
Data de inscrição : 16/11/2013
Idade : 23
Localização : Chalé 7

Ficha do personagem
HP:
110/120  (110/120)
MP:
110/120  (110/120)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Primeiro treino

Mensagem  Fuyuki Saji em Sab Dez 07, 2013 2:30 am

Após me recuperar do susto, descobri que havia uma arena onde podia treinar com minha arma recém adquirida, a Katana Subzero.
Logo ao entrar reparei em sátiro estranho, pálido com pelos e cabelos brancos, que parecia resmungar algo para algum campista. Decidi ficar bem longe dele, e treinar sozinho, nunca precisei de ninguém antes, não seria agora que iria precisar. Uma vez vi um documentário detalhado sobre kendô, a teoria eu já tinha, 4 pontos básicos: cabeça (movimento de cima para baixo), abdômen (movimento para a afrente), braço (movimento lateral) e pescoço (movimento lateral ascendente). Me dirigi a um boneco de madeira e comecei a golpear a cabeça do boneco, fiz 100 repetições do movimento; depois passei a golpear o abdômen, fiz outras 100 repetições; acertei o que seria o braço mais 100 vezes; por último acertei o pescoço do boneco mais 100 vezes.
Depois de tantas repetições do mesmo fiquei entendiado... Resolvi começar a improvisar, fui para um espaço aberto e comecei a testar uns movimentos giratórios, mas depois de uns 10 giros fiquei meio tonto, então sentei um pouco para esperar passar....
Depois de uns minutos tive a ideia de treinar desembainhar a katana, golpeando e embainhar de novo, tentando aumentar a velocidade a cada repetição, depois de umas 60 eu acabei cansando e voltei para minha cabana descançar

(Analise do treino, pontos de 0 à 20)
*Escrita correta: 15
*Criatividade do texto: 9
*Nível de Combate: 5
*Utilização de Armas: 10
Total de Exp: 39
★Atualizado★
 
avatar
Fuyuki Saji
Filhos de Quione
Filhos de Quione

Mensagens : 7
Pontos : 9
Data de inscrição : 07/12/2013
Idade : 23
Localização : Acampamento

Ficha do personagem
HP:
140/140  (140/140)
MP:
140/140  (140/140)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Conhecendo a Subzero

Mensagem  Fuyuki Saji em Ter Dez 10, 2013 11:51 am

Ouvi uns irmãos do chalé conversando sobre a Espada Subzero, e como soltar os raios de gelo, em seu cabo há uma peça que ao gira-la, ativa a espada. Ao saber disse fui direto a arena testar os raios de gelo da minha subzero.
Chegando na arena, procurei um lugar espaçoso e vazio. Carreguei bonecos de feno, que eram mais leves, e me posicionei a 5 metros de distância. Dei dois toques rápidos na tatuagem de floco de gelo e saquei a Subzero, com meu polegar direito rodeio o dispositivo no cabo da katana. Respirei profundamente, com um muita excitação pelo esperava que iria acontecer... Posicionei a Subzero acima da minha cabeça, segurando-a com ambas as mãos, e golpeei o ar em um movimento descendente.
"WOW" - Exclamei.... Um raio de gelo saiu da espada e acertou o boneco craidno uma linha congelada que dividia o boneco ao meio. "Isso foi impressionante" - Pensei comigo mesmo. Tomei uma distância maior, posicionei a espada junto ao corpo na altura da cintura e golpeei o ar novamente, mas no sentido lateral. Agora o boneco tinha uma cruz de gelo em seu corpo. Pus a katana a minha frente, coloquei-a na horizontal, dei um passo atrás trazendo Subzero também para trás, e fiz o movimento para a frente, como se estivesse infincando a espada em alguém, o resultado foi impressionante, o raio concentrado um um ponto atravessou o "espantalho"  deixando uma lançca de gelo atravessa da nele.
"WOW" - Exclamei novamente. Depois pensei, que como era um alvo parado, não tinha muito o que comemorar. Vi a área de alvos móveis e decidi tentar a sorte... O fracasso foi inacreditável, como alguém tão incrível como eu poderia errar tanto? Decidi observar por um tempo, havia um padrão no movimento dos alvos, lancei um raio e contei o tempo para chegar a distância dos alvos. Depois disso os alvos móveis também perderam a graça, era só calcular o tempo correto e a trajetória do alvo, não havia mais erro. Pensei em treinar com algo vivo, como animais, mas achei que seria crueldade demais...
Foi quando vi uma garota esgrimando contra um tipo de robô, procurei um deles pra mim, dei uma espada de treino de kendô para o robô. Levei-o até uma arena grande, e iniciei-o, o robô veio para cima de mim muito rapidamente e me acertou no braço, antes que pudesse me defender, o impacto foi tão grande que cai no chão e deixei a Subzero cair também. Com o susto engatinhei desesperadamente tentando me distanciar do robô, me virei e levantei, e pra minha surpresa ele já estava lá pertinho de mim, diferindo um golpe com sua espada de madeira. A ponta da espada pegou na minha cabeça.... Escuridão, silêncio, fraqueza.... Acordei com uma criatura pálida de cabelos e pelos brancos me dando uns tapas na cara e gritando algo como "Qual o seu problema garoto? Você é louco?".. Quando finalmente parei de ver tudo duplicado, ele disse que deveria ter colocado no nível de dificuldade 1, pois ainda não tinha experiência. Pedi desculpas pelo transtorno, ouvi uma resposta atravessada, mas nem dei atenção, precisava me recuperar, e ficar ouvir um sátiro mal educado não iria me ajudar em nada....

(Analise do treino, pontos de 0 à 20)
*Escrita correta: 10
*Criatividade do texto: 15
*Nível de Combate: 10
*Utilização de Armas: 17
Total de Exp: 52
★Atualizado★
 
avatar
Fuyuki Saji
Filhos de Quione
Filhos de Quione

Mensagens : 7
Pontos : 9
Data de inscrição : 07/12/2013
Idade : 23
Localização : Acampamento

Ficha do personagem
HP:
140/140  (140/140)
MP:
140/140  (140/140)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Treino com Espada/Escudo

Mensagem  Emyli Chesterton em Seg Dez 30, 2013 9:05 pm


Eu estou cansada. Fisicamente, emocionalmente e mentalmente. Eu não sei de mais nada, não compreendo quase nada e não posso fazer nada. Mesmo estando decidida a não ser só mais uma nesse acampamento, mesmo estando decidida a ser representante de meu pai, as coisas não estão fáceis. Quer dizer eu não estou perdida... Não completamente. Já tenho uma vaga noção das coisas, entendo a importancia de ser uma prole de Ares mas... Parte de mim não sabe o que está fazendo aqui. Quer dizer, até pouco tempo atrás eu pensava que meu pai era um bêbado que fugiu de casa... E de uma hora para outra... Puf. Minha mãe morre e um meio cavalo me traz para um acampamento para 'crianças especiais'. No início achei que era a colonia de férias da APAE, confesso.... Mas então ele me diz que sou filha do Deus da guerra e que meu pai nunca foi um bêbado. Nos primeiros dias foi bom e tudo mais... Mas então eu tive tempo para assimilar e descobri que não tinha certeza se aquilo era bom ou ruim, ótimo ou péssimo. Quer dizer... CARAMBA! Meu pai é um imortal! Eu devia estar orgulhosa, não? Mas aí percebi que não teria sentido se o sentimento não fosse mutuo. Decidi orgulha-lo á algumas noites atrás, decidi ser forte.. Ainda hoje eu fiz havia feito um treino aqui na arena. Nada complicado, sabe... Apenas uma luta com um boneco de palha. Nada surpreendente. Mas é um bom começo. Enfim, você tem sorte de não ter que passar por essas coisas. Ou talvez também esteja passando por isso, não sei bem o que dizer.
A ultima linha foi escrita aos trancos e barrancos, visto que já estava na hora de almoçar. Essa era minha nova rotina, meus novos costumes: Acordar. Tomar café. Treinar. Voltar para o chalé. Tomar banho. Almoçar. Treinar. Equitação. Chalé. Banho. Treinar. Jantar. Chalé. Banho. Dormir. Opa, quase me esqueci. Hoje comecei um diário... Percebi que não posso ter filhos e já que os campistas não costumam viver muito talvez esse caderninho sirva para alguma coisa daqui uns anos. Mas como pode ver treinar está em quase todos os intervalos...., Comentou aquela vozinha irritante na minha cabeça.
_Uma coisa que eu não quero ser é fraca, e não serei. Nunca fui fraca e isso não mudará agora. - Devolvi em voz alta para minha consciência. Na verdade ela sabia disso, apenas queria me provocar. Tinha o meu espírito. Espírito da filha de Ares.
Lentamente levantei de minha cama, guardando o pequeno objeto de baixo do travesseiro antes de sair com passos rápidos em direção ao refeitório. Não tive muito tempo para almoçar, de modo que em meu prato só coloquei algumas folhas verdes, uma carne e a comida rotineira. Engoli tudo sem mastigar muito, levantando-me para ir até a arena.  
Já na arena, tudo estava calmo  e incrivelmente parado. Em minha mente a imagem de um filme de faroeste com apenas a poeira dando sinal de movimentação enquanto aquela melodia irritante soava. O local era amplo e aberto, sendo quase confortável ficar ali... Mas eu não tinha ido até lá para descansar. O instrutor não se encontrava no local e nem mesmo suas pegadas quadrupedes eram visíveis no terreno arenoso. Parecia estranhamente sinistro. Por fim suspirei derrotada. Já estava na hora de parar de enrolar.
Toquei a pulseira de prata, sentindo o peso confortável em minhas mãos enquanto a espada de lamina ligeiramente avermelhada se transformava diante dos meus olhos. Era incrível como a mágica facilitava as coisas, não? Particularmente eu gostava de espadas. Acho que tinha alguma coisa haver com meu pai ou coisa assim. Com o canto dos olhos vejo um tipo de tentativa frustrada de boneco de treino. Obra dos filhos de Hermes, talvez. Era diferente do outro com o qual havia treinado.
_Ah Darth... Acho que você merece um descanso. - Murmuro para o vazio, lembrando-me do treino matutino. Estava na hora de tentar algo novo.
Dirigi-me até o canto onde o projeto de boneco estava, olhando-o com curiosidade. Não só o material parecia mais resistente, como haviam algumas marcações ali. Aparentemente seu criador tinha dificuldades de achar os pontos vitais durante a batalha, já que os mesmos estavam desenhados de vermelho no pano que lembrava couro. Sem muita pressa, coloco-me em posição, deixando os pés firmes no chão e segurando minha espada com mais força. O oponente inanimado era sustentado apenas por um pedaço largo de madeira fincado no chão... Mas não parecia vacilar. Fecho os olhos respirando fundo, abrindo-os em solavanco e fitando o peito marcado. Tudo bem, já tinha feito isso uma vez. Ergo a espada com a mão direita, descendo rapidamente em um movimento diagonal pelo corpo do alvo. O tecido parecia inteiro, ficando visível apenas uma linha fina por onde a arma o cortara. Ok, a tentativa de boneco não era assim tão ruim. Me afastei um passo para trás, voltando a apertar o cabo da espada. Dessa vez  dei alguns passos para a esquerda antes de girar meu corpo para a direita com a espada acompanhando o movimento de 180º  pela cintura do boneco. Novamente o corte não pareceu 'grave'. Trinquei os dentes com força. Que coisa irritante. Que tipo de peste era aquela? Sem exitar pulei para a frente, fincando a lamina no ombro dele. Atravessou. Era um começo. Volto a me afastar, dessa vez mais animada. Tudo bem, seria do jeito dificil então. Pego a espada com as duas mãos, imitando o primeiro movimento com mais força e determinação. Corte diagonal. Não parei para examina-lo, logo continuando com um corte lateral na direção das costelas. Volto a erguer a espada, dessa vez acertando-lhe na lateral da cabeça. Reiniciando a mesma sequencia. Corte diagonal. Lateral. Cabeça. O couro já estava marcado, animando-me ainda mais. O sorriso já era pleno em meu rosto e meus olhos chegavam a brilhar. Golpe lateral à direita. Golpe lateral a esquerda. Giro. Esquiva. Golpe vertical na cabeça. Havia marcado. Abaixo-me, imitando uma rasteira e rolando para a esquerda no chão como se desviasse de uma espada. Tinha ampla visão de suas costas, onde girei a espada, deixando uma marca funda ali também. Pulei para trás, desviando do ataque invisível e aproveitando para passar a espada com força no pescoço de couro. Estando agora mais para a direita eu deveria aproveitar. Passo a espada para a mão esquerda, deixando a direita livre para ser levada até a nuca do oponente, onde entrelaço os dedos para puxar sua cabeça para baixo enquanto ergo meu joelho esquerdo para golpea-lo. Dessa vez foi apenas com pura imaginação, já que o boneco não podia realmente ser dobrado ou puxado. Se eu estivesse certa isso deveria no mínimo desorientar uma pessoa normal. Volto a imitar o mesmo movimento mais uma, duas vezes. Solto-o, segurando a espada com as duas mãos novamente e fincando-a na marcação vermelha no peito. O coração. A lamina, agora totalmente vermelha, atravessou sem muita dificuldade. Girei-a alí algumas vezes, aumentando o buraco. Morto. Puxei a arma com um ar glorioso, erguendo-a no ar em sinal teatral de vitória.
_Vitória! - - Gritei aproveitando o momento de tranquilidade para deixar um pouco de loucura fluir. Meu cabelo estava 'colado' em minha testa pela umidade proveniente do suor e minha calça estava suja pela pequena acrobacia na areia. Sinceramente? Não me importei. Me sentia um passo mais perto de orgulhar meu pai. Um passo mais perto de me sentir orgulhosa.
Ainda com um sorriso nos lábios desativei minha arma, sentindo a pulseira de prata novamente em meu pulso. Era uma sensação estranha de segurança.

Segundo Treino
what i know now, wouldn't dive in, wouldn't bow down.
thanks juuub's @


(Analise do treino, pontos de 0 à 20)
*Escrita correta: 18
*Criatividade do texto: 15
*Nível de Combate: 17
*Utilização de Armas: 19
*Interpretação do NPC: 0
Total de Exp: 69
★Atualizado★
 
 
avatar
Emyli Chesterton
Filhos de Ares
Filhos de Ares

Mensagens : 8
Pontos : 10
Data de inscrição : 30/12/2013

Ficha do personagem
HP:
120/120  (120/120)
MP:
120/120  (120/120)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Treino com Espada/Escudo

Mensagem  Halt Carrick em Sex Jan 03, 2014 5:59 pm

Espada - Segundo Treino

Comecei o treino adaptando meu corpo a dar certos golpes, os que o instrutor Lacaile me ensinara. Era meu primeiro dia e meu segundo treino, queria evoluir rápido. Eu aqueci meu corpo e logo comecei as sequencias. Alguns arcos por cima da cabeça que atingiam o boneco entre o pescoço e o ombro, outras vezes um golpe lateral pela direita ou até ataques no pescoço. Criei uma sequencia parecida com isso: “Arco, golpe lateral, golpe lateral, pescoço, golpe lateral”. Sempre alternando os lados, o que me fazia treinar um pouco da velocidade dos meus golpes além do próprio manejo da espada.

Depois de algum tempo, comecei a desferir golpes com a ponta da espada no peito do boneco, a girar para pegar mais força no golpe e até me agachar vez ou outra, segurando uma parte da espada no punho e apoiando a outra extremidade, da lamina, na palma da mão, fingindo me preparar para um golpe. Era até meio irritante treinar isso, mas valeria a pena saber algumas coisas antes de começar a lutar contra autômatos ou os outros semideuses dali.

Continuei treinando desta forma, alternando golpes e cada vez inserindo novos, para ampliar meu arsenal com a espada. Quando já estava satisfeito, decidi inserir chutes e cotoveladas ou até bater com o punha da espada na cabeça do boneco, lembrando de que estes poderiam ser úteis em um combate.

Estava ficando entediado quando larguei a espada, satisfeito com o desempenho e, ao passar por Lacaile, disse:

- Da próxima vez, destruo um autômato. – Ele parecia ter um humor tão bom quanto o meu, não riu, apenas assentiu, talvez até ele já tenha sentido o tédio de ter que memorizar golpes e treina-los contra nada um dia.


(Analise do treino, pontos de 0 à 20)
*Escrita correta: 20
*Criatividade do texto: 10
*Nível de Combate: 12
*Utilização de Armas: 11
*Interpretação do NPC: 10
Total de Exp: 63

†Atualizado†


Halt Carrick

Filho de Hades – Verme Caçula - Inútil (por enquanto)

credits @
avatar
Halt Carrick
Filhos de Hades
Filhos de Hades

Mensagens : 27
Pontos : 27
Data de inscrição : 01/01/2014

Ficha do personagem
HP:
130/130  (130/130)
MP:
130/130  (130/130)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Treino com Espada/Escudo

Mensagem  Halt Carrick em Sab Jan 04, 2014 10:09 am


Espada e Escudo - Terceiro Treino


- Pode começar, agora. – Disse Lacaile, depois de ver que eu já tinha ajustado o escudo na mão esquerda e empunhado a espada na direita. O autômato de nível fácil estava na minha frente e já começara a se mover quando recuei o pé direito, levantando o escudo em um gesto defensivo e a espada erguida na altura da cintura, mais atrás, à espera de um giro do corpo para se chocar contra o adversário com força.

Movi o escudo alguns centímetros na hora do ataque e o autômato acertou-lhe no centro com força. Senti o choque do golpe se espalhar pelo meu corpo e depois voltar, fazendo o escudo bater no peito do autômato e, ao vê-lo recuar, girar o corpo para a esquerda à 45º e a espada fazer o mesmo movimento por cima de minha cabeça, separadamente do corpo, pegando força até que a ponta da espada criou uma faixa no peito do autômato, do ombro esquerdo dele até o lado esquerdo da cintura.

Ok, isso não foi bom, quando fiz ele recuar tirei ele da minha área de alcance. Determinado a mudar o rumo dessa luta rapidamente, o autômato me deu um belo soco no queixo e me fez cair alguns metros para trás, de costas no chão. Agora, um filho de Hades magricela, sem escudo e sem mandíbula partia rumo ao desenrolar da luta. Ao me levantar, me deparei com o autômato chegando e pronto para me atacar, quando dei um mortal pra trás, aproveitando minha vantagem pessoal, e aterrissei perfeitamente no chão, porém tonto, recuando alguns passos até sentir minhas costas trombarem com o chão novamente.

Agora, ao me levantar, defendi-me do autômato com a espada, ele era muito mais forte que eu, então lhe desferi um chute no peito com a perna direita, fazendo-o recuar um pouco. Dei os passos necessários para me aproximar e, segurando a espada com as duas mãos, movi ela em direção ao corpo adversário, com a ponta afiada apontada para o peito sem defesa do robô.

A luta chegara ao fim, eu venci, mas precisava ir consertar meu rosto urgentemente. Jurei a mim mesmo nunca mais me atrapalhar mais do que agir. Quanto a Lacaile, após o término da luta, saiu dali e foi cuidar de outros semideuses, sem falar nada.


(Analise do treino, pontos de 0 à 20)
*Escrita correta: 19
*Criatividade do texto: 14
*Nível de Combate: 10
*Utilização de Armas: 15
*Utilização do NPC: 12
Total de Exp: 70

†Atualizado†


Halt Carrick

Filho de Hades – Verme Caçula - Inútil (por enquanto)

credits @
avatar
Halt Carrick
Filhos de Hades
Filhos de Hades

Mensagens : 27
Pontos : 27
Data de inscrição : 01/01/2014

Ficha do personagem
HP:
130/130  (130/130)
MP:
130/130  (130/130)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Treino com Espada/Escudo

Mensagem  Halt Carrick em Dom Jan 05, 2014 2:10 pm

1x1 - Treino 4

“Hora de pegar mais pesado...” não sei de onde surgira tal pensamento, mas eu precisava mesmo ir mais além. Tinha prioridades e não adiantava pegar leve para chegar até elas. Eu estava com minha jaqueta de couro, meu “Iphone” e meus óculos escuros, presentes do meu pai. Pela primeira vez, eu iria para a arena confiante.

Chegando lá vi um pequeno grupo fazendo duelos com armas normais, não de madeira. Talvez nem fosse permitido, mas acho que deveria ser, se não morrêssemos aqui, morreríamos lá fora mesmo. Olhei para eles e acenei com a cabeça, me aproximando. Um garoto me encarou muito simpaticamente.  “Esse não serve” a maldita voz que perturba meus dias disse. Uma garota meio punk estava do outro lado do grupo, me encarava de modo intimidador.

Não sei como, mas a gente havia se comunicado. Ela mostrou uma parte livre da arena com a cabeça e fomos para lá. Ele pegou sua espada de Bronze Celestial, era muito bonita, mesmo, só que nada comparada à minha. O olhar confuso dela me fez entender o que estava faltando

-Cadê sua arma? – Ela perguntou, mas quando mostrei o Iphone ela pareceu incrédula. Ele logo se transformou em uma Espada de Ferro Estígio que eu segurei com as duas mãos pela base, os braços inclinados para baixo e a lâmina para cima, formando um V, assim como ela, que não ficou desconcertada por muito tempo antes de atacar.

“Usar a força do oponente contra ele”, foi isso que fiz. Seu primeiro golpe dividiria minha barriga ao meio, faria uma parte oca do umbigo para cima cair no chão e uma parte inferior ficar cheia, com algum amontoado de órgãos caídos da parte superior sobre ela, bem nojento. Mas isso não aconteceu, deu um passo para a esquerda e girei a espada, levantando o braço e deixando a lamina apontada para baixo, apoiando a parte inferior da lamina com a mão, com cuidado. O golpe atingiu a espada de raspão e a garota seguiu o embalo, dando mais alguns passos depois de passar de mim.

Quando a garota punk se virou, por puro reflexo, desviou minha espada de seu abdome. Desferiu-me um golpe reto, com a ponta da espada mirando o meu peito. Meus ombros foram para trás, eu era ágil o suficiente para desviar do golpe só assim, mas usei minha espada para tirar a dela de cima de mim e voltei a ficar de pé. A espada dela estava apontada para o chão, em uma lenta subida para outro golpe, mas mudou para uma rápida posição defensiva sobre a cabeça, protegendo-a do arco superior que eu havia feito com a espada.

Ela voltou a me atacar, avançando com passos enquanto movia habilmente a espada em velozes ataques. Por algum tempo, eu só defendi, mas vi uma brecha e ataquei com velocidade. Desta vez, seus reflexos fracassaram e eu atingi ela entre as costelas. Teria matado ela se ela não tivesse feito aparecer de uma hora para outra uma armadura do mesmo material que sua espada. E foi aproveitando meu estado de choque que ela tentou desferir um ataque nas minhas costas, que foi defendido pela minha armadura, que tinha sido trocada pela jaqueta do nada. A armadura negra absorvia luz, ao contrário da da garota, que fazia o contrário.

Ela voou em minha direção, literalmente. Eu me apavorei, ela invocou um raio, juro, que quase me acertou.

-Está pegando pesado, a luta é de igual para igual! – Disse eu. A luta acabou quando a garota deu um berro assim que eu sumi, e outro quando eu reapareci em suas costas, com a espada em sua garganta – Concorda?


(Analise do treino, pontos de 0 à 20)
*Escrita correta: 20
*Criatividade do texto: 17
*Nível de Combate: 16
*Utilização de Armas: 18
*Interpretação do NPC: 0
Total de Exp: 71

†Atualizado†


Halt Carrick

Filho de Hades – Verme Caçula - Inútil (por enquanto)

credits @
avatar
Halt Carrick
Filhos de Hades
Filhos de Hades

Mensagens : 27
Pontos : 27
Data de inscrição : 01/01/2014

Ficha do personagem
HP:
130/130  (130/130)
MP:
130/130  (130/130)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Treino com Espada/Escudo

Mensagem  Halt Carrick em Dom Jan 05, 2014 11:16 pm

Revanche - Treino 5


- Tudo bem, desta vez eu ganho. – Disse a garota punk, filha de Zeus.

- Não fale, mostre! – Disse, partindo para cima dela. Eu adquirira confiança no último treino e comecei dando um golpe que foi facilmente defendido por ela, assim como todos os posteriores. Não queria feri-la, era quase um aquecimento. Eu atacava a espada dela e ela atacava a minha, parecia um treino mesmo, como se ninguém quisesse vencer. Quem olhasse, pensaria que era uma luta pré-definida.

Quando começamos o combate real, já estávamos em certa sintonia. Golpes mais fortes, porém os movimentos de defesa eram quase perfeitos. Arcos superiores ou laterais eram aparados pela espada adversária, golpes com a ponta da espada eram desviados com a espada ou apenas errava o alvo, que se movia para algum lado.

Suspiros pesados, muita luta já havia decorrido e as armaduras não foram tocadas. Era hora de incrementar, só iria além quem soubesse unir o que tinha. Observei a espada dela se aproximando e defendi normalmente, nossas espadas formaram um X entre nós. Girei para a esquerda, trazendo a espada comigo, entrando na defesa dela. A garota estava prestes a ferir-me nas costas quando segurei o braço que segurava a espada e estava prestes a desferir um golpe com a minha, quando ela fez o mesmo.

Recuamos e, em segundos, já estávamos novamente em batalha. O suor correu por nosso rosto e o mais resistente estava prestes a vencer. Eu estava exausto e ela se mostrava mais firme, mas ambos já haviam abandonado o duelo, pelo menos com o olhar. Os golpes eram feitos instintivamente e defendidos por puros reflexos. Os olhares firmes que eram trocados amedrontariam qualquer um, mas quando eu estreitei os olhos, ela vacilou, desviou o olhar e eu ataquei com velocidade e uma amadora maestria.

Um golpe parecido com o anterior, porém mais efetivo. Ela moveu a espada cegamente, desorientada pela perda de foco. Fiz um rolamento, indo parar ao seu lado direito. Quando sua espada retornou do golpe, o agarrei e a fiz recuar alguns passos, ela ergueu a espada enquanto eu fazia uma investida, a ponta de minha espada tocou o início do punho da espada da filha de Zeus, pressionando-a, até que a mesma soltou a espadam que caiu com um eco no chão. Avancei alguns passos, ela recuou relutante, mas segurei seu braço direito e encarei-a de perto, poucos centímetros de distância, mas o suficiente para a espada que beirava o pescoço da garota pela segunda vez desde que eu entrara no acampamento.

Recuamos, entreguei a espada a ela e disse:

- Da próxima vez, treinamos juntos, não quero sujar meu histórico. – Ela sorriu e eu parti para meu chalé, tinha problemas a resolver por lá.


(Analise do treino, pontos de 0 à 20)
*Escrita correta: 20
*Criatividade do texto: 15
*Nível de Combate: 18
*Utilização de Armas: 18
*Interpretação do NPC: 0
Total de Exp: 71

†Atualizado†


Halt Carrick

Filho de Hades – Verme Caçula - Inútil (por enquanto)

credits @
avatar
Halt Carrick
Filhos de Hades
Filhos de Hades

Mensagens : 27
Pontos : 27
Data de inscrição : 01/01/2014

Ficha do personagem
HP:
130/130  (130/130)
MP:
130/130  (130/130)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Treino com Espada/Escudo

Mensagem  Hyella Frynkdötter em Dom Jan 12, 2014 3:24 pm

E a cadela morde novamente
Calminha, 'auau'. É só uma espada.



A fumaça escapuliu dos lábios róseos, percorrendo por todo o rosto, levando consigo o cheiro puro de tabaco, e misturou-se aos outros gases ao enfim ir embora. A mão direita áspera tocou a lâmina afiada, causando um corte irrelevável em seu indicador. A fome por combate crescera desde que voltara do Cansas. O pequeno bairro no qual morava, agora destruído por meras brincadeiras da filha de Nix, levantava uma fúria incontrolável em seu âmago, abrangendo uma parte tão íntima e profunda que a garota não controlava: Matrizza.

A caminhada até o centro da arena não se equiparava à caminha rumo ao combate no mundo fora do acampamento. No covil de heróis, se errasse, poderia tentar novamente. Lá fora, um movimento em falso custaria a sua vida. Poppet acreditava que, se fosse ser morta, iria ser de uma forma heroica - se não, de uma forma inusitada. Buscava treinar ao todo, preparar-se para qualquer tipo de ameaça escondida naquele estúpido mundo desgostoso. Enfrentar bonecos de palha? Patético, pensava. E o ciclope apareceu.

A filha de Nix rosnou. Calminha, ele não morde. Não mais que você. Jogou o cigarro no chão, esmagando-o com o pé.
- Então, bobão. Cai dentro! - Escarneou. Um sorriso sádico formou-se em seus lábios, e os olhos azuis, opacos por conta das toxinas ingeridas, agora adquiriam um tom luminescente de tuqueza. - Auau.
Não ouviu-se 'chavecos' por parte do monstro, porém, era evidente a sua irritação, levando em consideração a expressão abespinhada que seu rosto assumira. Poppet entendeu aquilo como uma primeira mordida. Cadela má, riu.

Correu na direção do ciclope, a espada sendo brandida. A prole de Nix era pequena e magra, ágil. O monstro era grande e pesado, lento demais para escapar com eficácia de seus golpes. Poppet interceptou um tapa do monstro, fazendo um corte em sua mão e rasgando-a, o que provocou um grito de fúria e raiva da parte do ciclope.
Tocou-lhe a perna, provocando um gemido. Estava ciente de seu poder, no qual, se tocasse o alvo, este sentiria dor intensa. A dor do corte e do toque jorravam por seus olhos, que, agora, expressavam fúria e instinto assassino. Vamos lá, felino. Reaja. A cadela vai te morder de novo.

Porém, um movimento não esperado a surpreendeu. Virando-se, o monstro a impactou com a costa da outra mão, jogando-a a alguns metros adiante. A espada para o outro lado. E a cadela fora desarmada. Au, au. Os cotovelos estavam ralados, o sangue escorria. Deveria ter cortes em seu rosto coberto de fuligem e poeira da arena. Mesmo estirada no chão, Poppet riu, recuperando a postura desinibida, sarcástica, meio que insana. Ficou de cócora, perscrutando o terreno ao seu redor. Era noite, as sombras predominavam. Vamos lá, cachorra. Use os poderes que herdou da vadia da sua mãe. As sombras começaram a mover-se, de pouco a pouco. Envolveram o ciclope, que, em êxtase, se debatia como se quisesse expulsar um bando de mosquitos. Medo do escuro, gatinho?

Nesse meio tempo, Poppet levantou-se e correu para perto de sua espada. Dissipou as sombras logo depois. Queria se divertir.
A expressão de horror no rosto do ciclope a fez rir. Não era de ter deleite com a desgraça dos outros, mas... Que se dane, era sim.
Correu na sua direção. Mesmo não tendo o mesmo vigor de antes, conseguiu saltar e fincar a espada na barriga do brutamontes.
- Morre! - Gritou, caindo no chão e deixando a espada na barriga do monstro.
A expressão duvidosa do ciclope a intrigou. Não estava sentindo dor? Porém, todas as dúvidas foram dizimadas quando o adversário reduziu-se a puro pó.
Poppet sorriu, pegando sua espada em meio aos restos nojento do monstros.
- Pra aprender a não mexer com cadelas. - Sussurrou. - Au.

Terminara. A prole de Nix estava exausta, sim. Precisaria de um longo banho antes de cair na cama e acordar 14:00 da tarde na manhã seguinte.

Poderes Utilizados:

~PASSIVOS~
♦ Nível 2 ♦
ᖤ Visão Noturna: Quando está escuro, conseguirá enxergar melhor, conseguindo distinguir detalhes. Uma visão avançada, como a de um morcego ou uma coruja.

~ATIVOS~
♦ Nível 1 ♦
ᖤ Umbracinese I: Os filhos de Nyx tem controle LIMITADO das sombras, ele não pode cria-la, apenas manipular. O semideus pode sobrepor e manipular as sombras existentes.
♦ Nível 2 ♦
ᖤ Toque Doloroso: Através do contato do guerreiro com seu alvo [tem que tocar na pele], ele irá transmitir dores intensas para a vítima durante alguns poucos minutos, deixando-o fraco e indefeso.

Observações e Considerações:

ᖤ Matrizza é um 'outro eu' de Poppet [Trama pessoal]
ᖤ A arma citada no treino não pertence à Poppet. Esta foi pega emprestada no arsenal do acampamento
ᖤ Post corrido, sono, pressão da mãe pra desligar o PC, então, sorry a má qualidade. e_e'

~exclusive by poppet~




(Analise do treino, pontos de 0 à 20)
*Escrita correta: 20
*Criatividade do texto: 18
*Nível de Combate: 10
*Utilização de Armas: 15
*Interpretação do NPC: 0
Total de Exp: 63

ΘAtualizadoΘ



Hyeeeeeeeeeeeeella?!
MAS QUE PORRAS VOCÊ FAZ AÍ?!
thanks ▲
avatar
Hyella Frynkdötter
Filhos de Nix
Filhos de Nix

Mensagens : 94
Pontos : 92
Data de inscrição : 11/12/2012

Ficha do personagem
HP:
120/120  (120/120)
MP:
120/120  (120/120)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Treino com Espada/Escudo

Mensagem  Karol P. Czekolada em Qui Jan 16, 2014 5:30 am


The Silence Ivory One


Pra quem não fala, o extremo barulho da arena soa como uma ofensa pra mim. Eu sinto inveja por não poder gritar e insultar meu oponente quando algo dá errado ou certo, mas enfim eu uma hora ou outra eu me me acostumo com isso. Meu pai, nalgumas décadas atrás, não abria a boca pra nada, ele permanecia queto para me dar apoio. As vezes ele tagarelava, e me deixava tão feliz. Ele tinha uma voz linda. Suspirei ao lembrar dessas coisas, mas logo balancei a cabeça para esquecer de coisas de um passado distante desse mundo atual. Empunhei minha rapieira de gelo eterno e caminhei por entre os muitos garotos e garotas.

Haviam vários campistas treinando uns contra outros por toda a arena e, eu não tinha habilidade nenhuma para chamar sequer uma alma para ser meu par de treinamento. Então me afastei um tanto daquela confusão toda, para o lugar onde os pequenininhos tinham aula. Porem, eu acabei dando de costas com outra pessoa (sim, eu costumo andar de ré as vezes) - Hm.... Olha por onde anda mudinho! - disse o sátiro Albino. Fiquei admirado, pois eu não era o único transparente ali. O ser híbrido me olhava com desdém e eu me senti inferiorizado, mas ouvi rumores que Lacaile (acho que é esse o nome dele), e mal-humorado mesmo. Ele sacou a espada e bateu no meu braço com a parte chata de sua espada. Soltei um grunhido de dor e massageei a área - Você parece ser noob... - comentou com voz entediada e estapeou meu outro braço com a lâmina chata. Mordi os lábios, pois sabia que minha pele ia ficar roxa por semanas.

Olhei com cara de confusão para o sátiro, mas ele continuou com o rosto apático e doentio, apontando sua arma para mim. Não tive escolha a não ser dar um passo para trás e girar minha rapieira num infinito no espaço que ficava bem à minha frente. Choquei minha lâmina com a dele e respirei fundo, sentindo a adrenalina do momento. Admirei meu equipamento de gelo, observando-a por um breve tempo antes de olhar para o treinador. Então ele abriu um sorriso seco e avançou rapidamente pra cima de mim. O tilintar das lâminas faziam meu ouvido tinir e meu coração bater mais rápido. Direita, esquerda, esquerda, esquerda, golpe falso pela direita, pé pra frente, pé pra trás, uma gota de suor, um piscar de olhos, mais um golpe pela esquerda e um avançar de cascos do sátiro branco. Tentei acompanhar, mas acabei cedendo à grande experiencia do treinador. Acabei tropeçando em meus próprios pés, errando o timing do treino. Lacaile espetou-me a uns dois centímetros dentro de minha carne, na altura da clavícula. Fiz uma expressão de dor e caí.

O treinador pediu para que eu levantasse e o atacasse novamente. E foi o que eu fiz: ergui-me em silêncio, posicionando minha rapieira de forma elegante. Meu corpo estava de lado e eu pronto para mais uma derrota. Nossas lâminas se chocaram e eu senti um arrepio de adrenalina se formando em meu ser. Avancei num lanceolado, mas ele se manteve firme, bloqueando meu golpe. Ele atacou pela direita, esquerda, diagonal de baixo para cima, aproveitando meu ponto cego. Pulei para o lado do ataque, sentindo sua espada arranhar o tecido que cobria meu peito. Lacaile estava me ensinando a dançar sem eu perceber. Pé pra frente, dois pro lado, um para trás e dois para o lado. Ataque direto com direito a sangue e um golpe falso pela esquerda, me fazendo cair em sua armadilha. Eu estava novamente no chão, mas dessa vez ele perfurou dois centímetros da minha coxa. Seu rosto estava sem emoção alguma, mas no fundo eu sabia que o sátiro albino estava adorando ver meu sofrimento.

Levantei-me novamente para uma ultima tentativa de mostrar ao instrutor que posso ser um ótimo espadachim. Tentei usar uma série de movimentos que eu vi outro campista fazendo: um golpe frontal pata que ele tentasse desviar da estocada e então uma sequência de dois rápidos ataques angulares e então uma forte estocada vindo de baixo para cima, tentando uma variações dessa sequência por alguns tempo, até que eu conseguisse uma brecha para chicotear a lâmina de gelo em qualquer parte de seu corpo. Meus ombros estavam doendo por causa dos golpes que ele me dera no inicio do embate. Minhas feridas de dois centímetros ardiam, fazendo meu corpo falhar algumas vezes. Tentei aguentar a dor, mas mesmo assim ardia.  Dois ataques pela direita com exito na minha defesa. Ele bateu no meu bíceps com a parte chata de sua espada, mas eu segui avançando num golpe circular, na tentativa de iludir os olhos claros de Lacaile com o bambear místico da minha rapieira. Falho, pois ele avançou com dois pra frente, estendendo a espada pelo meu rosto, fazendo um pequeno corte ardido na minha bochecha. Minha agulha em forma de florete estava atravessado no ombro do Sátiro e eu rosto pasmo com a quantidade de sangue que caia no chão e banhava a pele branca do sátiro - O melhor ataque é a investida sem medo da morte... - disse ele seco. Ele poderia ter me matado se quisesse, mas não o fez por misericórdia de mim. Fiquei mais branco que o normal e engoli seco, pois eu não tinha saliva alguma para engolir.

O som da carne perfurada roçando em minha arma foi angustiante, mas por fim o treino havia terminado. Ele deu um peteleco em minha testa e foi acudir outro campista. Eu ainda estava em choque, mas sabia que num futuro, quem sabe, eu deva avançar sem medo perante um inimigo, mesmo que eu me fira. Se eu tiver uma oportunidade de sucesso, eu devo aproveita-la.


❉ Under my white skin, my blood runs red ❉
Credits: Masquerade Girl by Sugar Avatars



(Analise do treino, pontos de 0 à 20)
*Escrita correta: 20
*Criatividade do texto: 19
*Nível de Combate: 18
*Utilização de Armas: 18
*Interpretação do NPC: 20
Total de Exp: 95
★Atualizado★
 
 


Sweet chocolates are great, but loving YOU is even more...

...Amazing!

credits Killjoy Girl
.
avatar
Karol P. Czekolada
Filhos de Quione
Filhos de Quione

Mensagens : 52
Pontos : 54
Data de inscrição : 24/08/2013

Ficha do personagem
HP:
130/150  (130/150)
MP:
150/150  (150/150)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Treino com Espada/Escudo

Mensagem  Karol P. Czekolada em Seg Jan 20, 2014 6:08 pm


The Silence Ivory One

Meu sonho foi ótimo e quase me esqueci de acordar. O detalhe era que eu estava dormindo pela tarde, pois estava muito Sol e ele, o Sol, faz mal para minha pele albina sem pigmento algum. Abri as janelas do meu quarto, para arejar o chalé e me vesti com as roupas do acampamento e uma jaqueta por cima de tudo, pois apesar de tudo, meu corpo é frio o bastante para não suar. Amarrei os cadarços das minhas botas, dei um tapa nos meus cabelos sem cor e correu na direção da arena.

A arena era um lugar incrivelmente chato, mas era essa a vida que um semideus está fadado a ter. Não que eu não goste, mas é que eu prefiro fazer outras coisas à brincar de lutinha com essas crianças. Pois é, meus 80 anos estão pesando hoje... Mas em todo caso, eu preciso me exercitar e tentar me encaixar nesse mundo barulhento. Enfim, caminhei pela arena, observando alguns semideuses curiosos que olhavam para mim e aparentemente sorriam. Acho que é por causa da minha falta de cor, eu sempre chamo atenção por ser extremamente branco e sem vida. Decidi continuar andando, com o meu florete pendurado na lateral, até encontrar uma parte vazia onde eu pudesse me concentrar antes de começar o treino. Quando percebi, Lacaile, o sátiro de cabelos brancos estava no mesmo canto que escolhi ficar e como sou imbecil e de outro tempo, acabei esbarrando nele novamente.

Com a espada em mãos, o sátiro girou a mesma em suas mãos, me deixando aflito pelo que aconteceria, pois da vez anterior que nos encontramos, foi meio humilhante - Você novamente mudinho? - Disse ele sem muito sentimento, lustrando sua espada. Praguejei mentalmente, pois não consigo falar e meneei a cabeça, tentando manter minha compostura. O homem-bode se exibiu novamente com a porcaria da sua lamina Fiquei parado por alguns segundos, encarando o instrutor estar pronto para me treinar. Não sabia o que fazer ao certo, mas assim que ele se deu conta da minha presença, já era tarde demais. Com os joelhos flexionados, forcei os pés e com o meu florete comecei a desferir golpes desajeitados para bloquear as investidas de Lacaile. A espada dele atingia o gelo da minha arma e tilintava oco, mas às vezes as lâminas escapavam e o sátiro me dava uns tapas com a parte plana de seu equipamento. Principalmente na área do tórax e com força.

Eu já estava rodeando de pequenos pontos avermelhados pelos braços e meu rosto suava. Os olhos do meu treinador eram sem a mínima expressão e seus movimentos eram muito precisos e a cada vez que eu avançava, ele já passava por cima dos meus movimentos. Segurei mais firme no punhal da minha rapieira, sentindo a mesma fria se fixar na força da minha mão, com a força do impacto de nossas armas. Comecei a me mover mais rápido, sentido a espada esquentar seu cabo estranhamente. Nunca ensei que gelo pudesse esquentar, mas enfim, o impacto foi suficiente para que meus olhos pudessem ver uma lasquinha de gelo cristalino voando. Junto a isso, pratiquei minha esquiva também, pois tive que desviar do ataque seguinte antes eu perdesse uma orelha - Presta mais atenção garoto branco! - ordenou ele sem dar descanso para mim. Pés pra frente, golpe na diagonal defendido, corte de leve na minha camiseta, golpe de direita, direita, esquerda, pé pra frente, lâminas se roçaram, um deslize dos meus pés foi o suficiente para outro corte superficial na minha pele. Senti uma ardência, mas corria com minha lâmina para bloquear outro golpe fulminante de Lacaile.

Eu juro que a sensação de adrenalina é deliciosa e de sentir meus nervos e músculos do corpo tralhando em perfeita harmonia, é bom demais. Porem, eu não tenho tempo pra pensar nessas sensações, pois posso morrer a qualquer espadada de Lacaile. Enquanto desviava ou bloqueava os golpes do sátiro, sentia minha camiseta se empapando. O sátiro albino havia acertado um corte um tanto mais profundo do que eu imaginava e eu estava sangrando bastante, mas não queria parar o combate, pois preciso ser mais forte do que sou agora. Mordi meus lábios e continuei a movimentar-me na mesma velocidade que o meu treinador. Seus cascos eram rápidos, mas estranhamente meu esforço o acompanhava no mesmo ritmo. Nossas espadas se chocavam, faiscando fogo e gelo. Meus olhos claros se arregalaram, pois meu pulso vacilou. O homem-bode-branco não parava de surrar a espada em mim e quando eu encontrei uma brecha para finalmente golpeá-lo, meus olhos foram traídos por mim mesmo. Num piscar de olhos o sátiro albino já se encontrava atrás de mim, dando-me um tapa com a parte chata de sua espada enferrujada. Senti minha carne arder e eu cuspi sangue. Vermelho fica ótimo na minha pele sem vida. Meu treinador deslizou pela minha lateral de forma tão fluida que gelei quando senti seu rosto se aproximando do meu numa cabeçada. Senti o mundo rodar e nem consegui mais manejar meu florete direito. Tropecei e acabei desmaiando.

Quando acordei, eu estava com uma faixa na cabeça, alguns pontos pelo corpo e com o mesmo dolorido. Eu estava numa das únicas enfermarias ativas do acampamento, a clínica do filho de Deméter Albafica. Ele tem um tom de pele muito bonito e até me deu inveja. Juro que foi essa a primeira coisa que pensei quando acordei -  Lacaile não dá trégua... tenha cuidado com ele Karol - aconselhou-me. Além disso eu teria que esperar um tempo antes de voltar a treinar.


❉ Under my white skin, my blood runs red ❉
Credits: Masquerade Girl by Sugar Avatars



(Analise do treino, pontos de 0 à 20)
*Escrita correta: 17
*Criatividade do texto: 19
*Nível de Combate: 19
*Utilização de Armas: 18
*Interpretação do NPC: 20
Total de Exp: 93
★Atualizado★
 
 


Sweet chocolates are great, but loving YOU is even more...

...Amazing!

credits Killjoy Girl
.
avatar
Karol P. Czekolada
Filhos de Quione
Filhos de Quione

Mensagens : 52
Pontos : 54
Data de inscrição : 24/08/2013

Ficha do personagem
HP:
130/150  (130/150)
MP:
150/150  (150/150)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Treino com Espada/Escudo

Mensagem  Karol P. Czekolada em Ter Jan 21, 2014 5:55 am


The Silence Ivory One

Fazia algum tempinho desde de o meu encontro violento com Lacaile e eu estava disposto a enfrenta-lo novamente. Tenho um coração orgulhoso que bate forte dentro desse corpo gelado. Não costumo desistir com facilidade. Sou tímido? sim, muito. Mas quando se trata de vencer algo deixo minha natureza envergonhada para conquistar o que eu quero.

Eu ainda tinha algumas cicatrizes de uns dias atrás, mas eu queria muito enfrentar o sátiro albino novamente. Minha rapieira estava pronta e empunhada em minha mão e, meus passos ecoavam pelo salão da arena. Alguns campistas me olhavam curiosos, mas nem dei bola. Por onde eu andava, deixava um rastro de gelo. Quando meus olhos cruzaram com o branco d pele do sátiro-alvo-como-a-neve, apontei-lhe minha arma e franzi o cenho, como se o desafiasse. Nada disse e nada esbocei, mas ele - Aceito sua afronta mudinho... - disse distraído com um boneco de palha que ele arrumava para outro campista. Fiquei um pouco chateado com o pouco caso, mas devo reprimir meus sentimentos antes de tudo. Meu pai dizia que uma mente calma é a solução para quase todos os problemas. Respirei fundo e me posicionei numa posição de esgrima, girando minha rapieira de gelo num "infinito" (um oito deitado). Meus olhos sem cor alguma, quase transparentes, tingindo minha iris de vermelha por causa dos vasos sanguíneos, fitavam Lacaile, aguardando sua devoção em treinar-me. Porem ele demorou para escolher uma espada e tomar uma iniciativa. Ele parecia me desprezar ao máximo ou me achar um tédio como campista. Porem, depois de uns dez minutinhos, ele tocou a ponta do meu florete com o cume de sua lâmina, avisando que estava pronto para o nosso combate ou revanche.

A primeira coisa que fiz, foi movimentar meus pés rapidamente, pois eu tinha certeza que conseguiria surpreende-lo com os resultados dos meus treinos de agilidade. Minha lâmina parecia um laser azul, se misturando com o ar, tilintando com a espada do meu oponente apático. Ele conseguiu repelir todas as minhas investidas, mas ainda era cedo para que ele cantasse vitória sem ao menos receber um ou dois cortes da minha arma de gelo. Avancei em dois tempos, e consegui que ele recuasse um passo. Ataquei pela direita, três golpes retos e precisos, seguidos de um deslizamento de pés cortando o ar por três ou quatro vezes. Meu rosto pálido estava começando a ficar quente. Lacaile defendeu meus golpes e, escapando apenas do ultimo, pois ele deu uma estrela sem mão para trás. A ponta da minha rapieira deu uma lascadinha em seu casco, mas não foi um impactante o suficiente para que ele caísse ou coisa parecida. O importante era saber que eu estava focado e determinado em acertar pelo menos um golpe nesse sátiro chato.

Afastei os pés, fazendo minha lâmina chicotear entre o espaço que compreendia entre mim e Lacaile. Mordi meus lábios e o olhei fixo. O mesmo bateu os cascos em solo e partiu velozmente para cima de mim. Quase não consegui acompanhar. Dei um golpe de direita, mas ele já não estava mais lá. Desferi uma sequencia precisa em diagonais, mas toda vez que eu escolhia um lado, Lacaile desaparecia como um borrão branco, escapando de toda o combo que planejei. Ele é muito rápido para mim, pois não consigo prever seus movimentos. Eu estava entrando em desespero, mas lembrei dos ensinamentos do meu pai e tentei acalmar-me. Quando me dei por mim, o sátiro branco estava no ar, com a espada erguida para trás de sua cabeça. Ele ia me acertar com tudo, num golpe de alavanca poderosa se eu não fizesse algo urgente. Os segundos seguintes foram rápidos demais para qualquer um ali. O homem-bode desceu com tudo, cortando o ar de ma vez. Minha única escapatória foi dar um passo para trás, antes que eu fosse cortado ao meio. Minha camiseta fora destruída, mas pelo menos minha pele alva não fora danificada.... Ainda. Porem, num piscar de olhos, o ser híbrido já havia dado um sprinte e cortado o ar na horizontal, formando uma cruz de retalho na minha camiseta. Arregalei os olhos, pois foi muito rápido e, logo em seguida, o moço de cabelos brancos descia uma série de combos precisos. Defendi a maioria, com dificuldade, mas defendi. Meus muculos doíam e minha empunhadura estava dolorida. Lacaile tinha golpes fortes e bem colocados e minha mão não era suficientemente rígida para aguentar todos os golpes.

Eu estava ofegante, cansado e animado. Uma hora ou outra eu iria cair morto no chão frio da arena, mas até lá, vou combater esse sátiro. Girei minha rapieira e desferi um golpe pela esquerda, outro pela direita, nossas lâminas se chocaram, movi meus pés pra frente, Lacaile foi para o lado em dois passos curtos, meus olhos o acompanharam e saquei minha lâmina de gelo de um lado para o outro, chicoteando o ar com cortes de gelo. O sátiro movia o corpo desviando dos cortes e meu coração acelerava-se empolgado. Porem, tudo acabou rapidamente numa investida avassaladora do homem que me treinava - Presta atenção! - foi a unica coisa que ele me disse antes de acabar comigo. A voz dele era ríspida e mordaz, mas no fundo eu sabia que ele estava tentando me ensinar algo. Foi assim: Minha mão vacilou por tempo suficiente para que o instrutor me desarmasse num piscar de olhos. Juro, nem sei como ele o fez, mas ele o fez e bem debaixo do meu nariz polonês. Em seguida, eu estava muito surpreso e Lacaile estapeou meu rosto com a parte chata de sua espada, me fazendo cair de maduro no chão. O golpe foi tão forte e preciso que ele conseguiu estourar os vasos sanguíneos da minha bochecha, me deixando praticamente roxo na hora. Cuspi sangue e meu nariz sangrou, mas eu estava feliz pelo resultado. Lacaile me deu as costas, fazendo um joinha para mim. Foi ali que eu soube que deveria treinar mais e mais com esse homem metade bode.  


❉ Under my white skin, my blood runs red ❉
Credits: Masquerade Girl by Sugar Avatars



(Analise do treino, pontos de 0 à 20)
*Escrita correta: 20
*Criatividade do texto: 18
*Nível de Combate: 19
*Utilização de Armas: 19
*Interpretação do NPC: 20
Total de Exp: 96
★Atualizado★
 
 


Sweet chocolates are great, but loving YOU is even more...

...Amazing!

credits Killjoy Girl
.
avatar
Karol P. Czekolada
Filhos de Quione
Filhos de Quione

Mensagens : 52
Pontos : 54
Data de inscrição : 24/08/2013

Ficha do personagem
HP:
130/150  (130/150)
MP:
150/150  (150/150)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Treino de espadas

Mensagem  Tris D. Lopes em Ter Jan 28, 2014 4:25 pm

Treino

 O fio de luz que se espalhava pelo quarto através da cortina anunciava mais uma manhã no acampamento. Adaptei-me rapidamente a rotina do lugar, acordar, café da manha, grego antigo, treino, mitologia, almoço...
Então hoje, após o almoço, resolvi participar o treino de espada. Caminhei até a arena apreciando o suave cheiro dos morangos, e ouvindo a bela canção que saia da flauta dos sátiros. Não entendo esses campistas que odeiam esse cheiro, tão agradável, que penetra nos pulmões, e se esvai com a brisa matutina.
Ao chegar à arena, me deparo com um grupo de semideuses de armadura, prontos para o combate. Eles me encaram e eu desvio o olhar, buscando ao redor o instrutor. Porém, antes de encontrá-lo, sinto uma aproximação e ouço uma respiração suave atrás de mim. Viro-me devagar. Por enquanto, não quero briga com ninguém. Porém a figura que eu encontro parece querer. É um garoto alto, me deparo diretamente com seu peitoral musculoso. Olho para cima e digo, com exitação.
- O-Olá, sou Tris- digo tentando manter minha voz firme e parecer confiante- Eu vim...
-Treinar- interveio ele, com uma voz dura- é o que todos vêm fazer aqui.
Levanto uma sobrancelha, assustada e encabulada
-Você é o instrutor?- pergunto desagradável
-Não- diz ele como se fosse óbvio- Ele deve estar ajudando outra pessoa
Quando ele termina a frase sinto uma mão em meu ombro, me viro olhando defensivamente. A primeira coisa que eu penso é: Nossa! Os olhos dele são azuis como o céu, e a pele branca, ou melhor, pálida. Cabelos brancos, e, uau, ele é um sátiro, seus pelos de bote tão brancos quanto os cabelos.
-Eu sou o instrutor- diz ele encarando o grandalhão- agora dá o fora.
Sinto-me aliviada, a última coisa que quero aqui é uma briga, ainda mais com esse cara. O instrutor me entrega uma espada e se apresenta. Seu nome é Lacaile. Começamos com o básico. Ele me ensina qual é o esquema, e como eles treinam com bonecos de madeira. Ele faz uma demonstração, e após eu ter entendido, eu me ofereço para tentar.
Primeiramente, só faço alguns arranhões na madeira, porém depois vou aperfeiçoando minhas táticas e meus gestos, tornando-os mais precisos. Com o tempo, vou aprendendo alguns truques com as demonstrações do sátiros instrutor.
Quando o sol começa a se por, e já faz boas horas que estou ali fazendo praticamente nada, resolvo recompensar o tempo perdido. Começo a agir como se estivesse realmente em batalha. Apesar da sede e do cansaço, ainda me mantenho na ativa. Empunhando minha espada olhei os bonecos por alguns instantes, e em seguida fui em direção do boneco de madeira que estava mais perto. Fazendo movimentos precisos, acertei o seu ombro e as costelas. Parei e o olhei. Ouvi os cascos de Lacaile se chocando no ar. Os cortes não foram muito profundos, mais daria para causar bastante dor em uma batalha. Investi de novo, desta vez mirei o braço, do qual eu quase arranquei a mão do boneco, fazendo com que a palha formasse um montinho no chão. Girei minha espada na mão e investi, movimentando minha espada rapidamente para os lados acertando o boneco em todas as partes, causando vários cortes nos braços, fazendo com que mais montinhos de palha se acumulassem no chão.
Acertei a cabeça do boneco, arrancando parte da mesma, ignorando toda a palha esparramada no chão eu me virei e fui para outro boneco. Mas antes de chegar lá, Lacaile me parou. –Uau, isso foi incrível para uma iniciante, se fosse um jogo, diria que você trapaceou. Mas por hoje é só- Enquanto ele dizia isso eu via os campistas indo embora, todos fofocando sobre algo. –Ok, talvez eu volte amanhã- Disse isso e me virei, enquanto ele murmurava algo sobre tão pequena e tão ágil. Sorri e sai de lá satisfeita. Queria transmitir a impressão de uma garota valente, e não a pequenina frágil que eu pareço ser. Parece estar dando certo. .

obs: foi um treino bastante curto, mas o que vale é a intenção
thanks thay vengeance @ cupcake graphics


(Analise do treino, pontos de 0 à 20)
*Escrita correta: 20
*Criatividade do texto: 9
*Nível de Combate: 10
*Utilização de Armas: 9
*Interpretação do NPC: 10
Total de Exp: 58
★Atualizado★
 

Olha, o texto foi bem escrito e o NPC foi usado com certo sucesso. Seus pontos baixos não tem nada a ver com o tamanho do seu texto e sim pela falta dos outros critérios no mesmo. Fora isso, foi um bom treino, parabéns ^^


Tris Drew Lopes
Prole de Deméter
avatar
Tris D. Lopes
Filhos de Deméter
Filhos de Deméter

Mensagens : 9
Pontos : 9
Data de inscrição : 12/01/2014
Idade : 17
Localização : Camp Half-blood

Ficha do personagem
HP:
130/130  (130/130)
MP:
130/130  (130/130)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Treino com Espada/Escudo

Mensagem  Alek Wherlock em Sab Fev 08, 2014 4:09 pm


Treino


Estava dormindo no chalé junto aos meus irmãos, estava tão bom ficar deitado. Mas logo tive que me alevantar, vestindo minhas roupas bocejando muito, apenas uma calça jeans um sapato e uma camisa do lado avesso que nem me dei conta que estava errada. Peguei minhas espada e flauta caminhando pelo campus, passando a mão nos olhos. Não era muito bom com a espada, mas teria que treinar para ficar ótimo nele.
Caminhei indo para a arena, olhando todos os lados indo direto para a parte de espadas/escudos, alguns jovens treinava, quando um sátiro de pele pálida, cabelos brancos e olhos azuis como o céu, físico definido e um rosto como se fosse um filho de Afrodite.
-Será que ainda estou dormindo? Tentando abrir os olhos para ver direito, dando um bocejo, quando o sátiro se encontrava mais perto, segurando uma flauta, mas pegando duas espadas e dois escudos. Entregando-me sem falar nada.
-Você é mudo por acaso? Falei dando outro bocejo, e fechando os olhos dormindo ali mesmo. Sentindo uma batida forte nas costas, voltando ao natural na mesma hora. –Que foi? Olhando fixamente para ele, onde o mesmo chegou colocando o escudo no meu braço esquerdo e a espada no direito, levantando-o o braço com a espada e o escudo a frente pronto para o ataque. Ele não falava nada, era sério. Começamos a lutar, logo levei uma lapada no braço sem ver. –Calma ai, não estava pronto. Dando um bocejo, me preparando para o ataque. Comecei indo para cima, acertando sua espada, defendo-me com o escudo, batia do lado esquerdo e depois direito, mas não estava dando certo. –Levante a cabeça, braços firmes e olhos atentos, garoto. Sua voz era firme. –Você fala, ainda bem, pensei que era mudo. Falei, mas logo me calei, sua expressão era muito seria e talvez não tivesse gostado do que eu havia falado, tudo parecia estar indo bem, até a parte em que ele subitamente defendeu do meu ataque, esquivando-se acertando a articulação da minha perna esquerda. Deu um pouco de raiva, mas aprendia rapidamente os golpes, gesticulei para o lado, desviando da sua espada, colocando o escudo a frente. –Você aprende rápido, mas ainda é novato. Não havia entendido o que ele tinha falado, só entendi quando senti uma lapada na perna e cai ao chão. E logo ele saiu dali, assoviando, deixando-me deitado. –Até a próxima, carneirinho branco. Dei uma pequena risada, saindo dali o mais possível, se ele estivesse escutando, não sei numa boa. Mas voltaria logo para treinar mais.

@LG


(Analise do treino, pontos de 0 à 20)
*Escrita correta: 9
*Criatividade do texto: 16
*Nível de Combate: 10
*Utilização de Armas: 10
*Interpretação do NPC: 15
Total de Exp: 60
★Atualizado★
 
 
avatar
Alek Wherlock
Filhos de Hécate
Filhos de Hécate

Mensagens : 14
Pontos : 16
Data de inscrição : 04/11/2013

Ficha do personagem
HP:
200/200  (200/200)
MP:
200/200  (200/200)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Treino com Espada/Escudo

Mensagem  Joe McDean em Ter Maio 13, 2014 6:55 pm



Love me like money!


Eu andava por todo o meu chalé super preocupado, estava angustiado, me sentido mal... mal não.. PÉSSIMO! Minha noite havia sido ótima e logo de manhã, quando acordo, quando levanto para me olhar no espelho... Me deparo com um MONSTRO... melhor dizendo, uma ESPINHA! - AAAARGH... SHIT! - Sério isso? Era oque agora? Uma maldição dos Deuses? Ah, sei lá , só sei que eu não estava tão belo quanto antes e essa espinha me incomodava DEMAIS. Lambi os lábios nervoso e fui passar uma maquiagem para sair para fazer um treino na Arena, sim, hoje é dia treinar, hoje não darei aulas então decidi treinar um pouco, certo?! Escondi a espinha por baixo do pó de arroz e fui me arrumar para poder sair lindo e belo do meu chalé. Coloquei meu corselete branco com borboletinhas rosas, uma calça JEANS BEM APERTADINHA e um All-Star rosa, já estava pronto para divar na Arena para todos verem. Peguei minha Valentine envolta em tiras e fui direto para a Arena, comendo uma barrinha de cereal.

Abri os portões da Arena e entrei sem olhar para os lados, não tinham muitos semideuses ali, apenas bastantes filhos de Hefesto treinando com seus machados e martelos, que não sou muito bom com esses tipos de armas. Sorri e comecei a me alongar, girado os ombros de dentro para fora, rodei meu pescoço para poder relaxar, rodei minha cintura e estiquei meus braços para esticar minha coluna sexy. Dei uma pequena corrida pela Arena, fiz alguns polichinelos e trinta flexões e abdominais. Já estava alongado e aquecido, meu treino já começaria. Caminhei até um filho de Hefesto e pedi para que ele trouxesse um de seus autômatos, do tipo bem pesados e difíceis de ser derrotado. Ele trouxe um autômato que aparentava ter uns um metro e oitenta, além de ser de puro ferro ou aça e estava em sua mão uma foice BEM afiada. Engoli seco e esperei que ele prepara-se o Androide maluco para treinar.

Após tudo preparado, comecei a tirar de leve as tiras de seda da minha espada, não retirei tudo para que eu não pudesse me cortar mesmo sem querer. Peguei um escudo ali e fui surpreendido pelo autômato, ele já me desferia golpes com sua foice bastante afiada, mas eu me esquivei de todos os ataques. - Apressadinho... - Afirmei engolindo seco e lambendo meus lábios nervoso . Fui ziguezagueando até o Androide para desferir golpes com minha espada vermelha em seu peito, sua barriga e sua perna. Ele esquivou do golpe do peito e o da perna ele defendeu com a sua foice, mas eu fui rápido o suficiente para dar um giro bailarino e acertar com minha espada-segmentada em sua barriga, fez um pequeno corte, que saía faíscas e fazia bastante barulho de eletricidade. - Shit... - Disse secando o suor em minha testa. Olhei dentro dos olhos robóticos do Androide e ele fez um barulho estranho, que parecia um tipo de risada. Após ouvir o barulho a lâmina de sua foice começou a pegar fogo. - Sério isso? FOGO? Eu odeio calor... À um dia atrás derrotei um elemental de fogo, maldito, vou acabar com você - Mordi os lábios com força e fui avançando rapidamente na direção no Androide, ele girou e me ataca com sua foice, mas fui rápido e defendi com meu escudo, que partiu ao entrar em contado com a foice flamejante. Dei uns mortais para trás para me afastar do autômato, arranquei toda a tira da minha espada e a chicoteei, transformando-a em um chicote dentado de lâminas. - Agora... você já era! - Após dizer isso, ele me lançou rajadas de fogo que queimaram o meu pescoço, pernas e meu braço que estava negro por causa da minha maldição. Caí no chão reclamando da ardência e dor causada pelo fogo, mas foquei minha mente apenas nele e me levantei, ignorando qualquer tipo de dor, ou seja, a das queimaduras e a da maldição do Mantícora. Entrei em um estado de fúria e dei umas estrelinhas sem mão para a esquerda, girei e chicoteei na barriga do Androide, fazendo uma espécie de ''X'' no local. Me afastei dele dando alguns mortais. Com meus poderes de telecinese, fiz a The Valentine flutuar e cravar na barriga do robô, o robô fica vermelho e explode, espirrando um pouco de lava para tudo quanto era lado.

Eu me queimei feio, estava com queimaduras horrorosas de com certeza de terceiro grau. Aquele autômatos sempre tinham uma espécie de surpresa que geralmente nunca eram boas, eu queria realmente treinar mais por ali, mas preferi parar, pedi que algum sátiro me ajudar a me levar até a Enfermaria do Albinha, para ele dar um bom trato nessas queimaduras feias.

Arma Usada:
❥ The Valentine [Uma espada segmentada que funciona como um chicote dentado de lâminas afiadas ou mesmo uma espada longa. A lâmina é avermelhada, pois foi banhada em solução tóxica. O veneno é bruto e causa dano  de 25 +25+25, ou seja, primeiro turno 25, segundo 50, terceiro 75, até que o oponente morra ou se cure. Fora esse contratempo, o veneno causa asfixia, paralisação e dor continua. A sua empunhadura é feita de ouro branco com um rubi cravejado entre a lâmina e o punhal, num formato de coração. Se o inimigo for masculino, o golpe da espada-segmentada tem o dano dobrado. A lâmina é envolta em tiras de seda para que o usuário não se corte por acidente.]{by Afrodite} {❀}

thanks juuub's @ cp!  




(Analise do treino, pontos de 0 à 20)
*Escrita correta: 19
*Criatividade do texto: 14
*Nível de Combate: 10
*Utilização de Armas: 14
*Interpretação do NPC: 13
Total de Exp: 70
obs:
OBS: Joe, quem sou eu para falar... mas ja que estou aqui. o seus combates, estão muito fraquinhos, e a criatividade também... tipo é a segunda vez seguida que tu treina com um ''robô''  e tipo... seja um pouco realista, acho que um chicote não fará tanto efeito em um NPC feito de aço/ouro. Só isso, 2bjs <3
★Atualizado★
 




Joe McDean

"I'm a love Zombie!"
♥️ MY LOVE IS ALBINHA TRIANTAPHYLOS ♥️
thanks princess kira from @ sugar!
avatar
Joe McDean
Filhos de Afrodite
Filhos de Afrodite

Mensagens : 251
Pontos : 261
Data de inscrição : 26/06/2012
Idade : 20
Localização : Com o Albinha e o Ky <3

Ficha do personagem
HP:
290/290  (290/290)
MP:
290/290  (290/290)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Treino com Espada/Escudo

Mensagem  Abel O. Drowsiness em Qui Maio 15, 2014 7:16 am

Acordei disposto para mais um treino intenso na arena. Prefiro levantar assim que o sol nasce para fazer minhas obrigações, assim fico com a tarde livre para fazer o que eu sei fazer de melhor: dormir. Arrumei minha cama, pois sou muito organizado e detesto ver minhas coisas espalhadas, escovei meus dentes e joguei os cabelos pro lado. Tirei meu pijama e coloquei uma roupa normal (shorts e uma camiseta do acampamento). Ajeitei minha aureola por cima da cabeça e fiz minhas asas desaparecerem. Alguns campistas ficam olhando e isso me incomoda um tanto. Agarrei meu escudo brilhante e amarrei firme meus cadarços, partindo logo em seguida.

Ao adentrar as portas da central de treinamento, fui direto para o treinamento de espadas e escudos. Joe e Lacaile estavam fazendo um ótimo trabalho ali. O sátiro branco olhou-me, como se quisesse um desafio maior. Treinar campistas não tão experientes deve ser meio monótono, até mesmo para os professores mais pacientes. Eu acenei positivo com a cabeça e agarrei minha aureola, transformando-a numa espada de três pondas separadas (nada mais é que três espadas numa só). Eu estava ansioso para usar esta espada novamente e Lacaile seria um ótimo treinador. Gosto de treinos puxados que exijam muito de mim.

O sátiro albino deu a partida e desceu com tudo sua espada sobre meu escudo de diamante. Ergui o braço da defesa e desferi um golpe reto, pensei que ia acertá-lo em cheio, mas meu professor defendeu-se girando sua espada no sentido anti-horário. Aproveitei que ele estava com o braço que empunhava a espada no ar e, lhe dei uma jogada de corpo, na tentativa de desequilibrá-lo. Enfim, ele tem uma agilidade e senso de equilíbrio, muito interessante. O híbrido, filho de Hermes, me surpreendeu com um corte, e por um momento pensei que ia ser decapitado. Defendi o golpe com a minha própria lâmina, encaixando sua espada entre a espada do meio e a da extrema direita. O impacto me lembrou um eclipse, sério, foi a defesa e ataque mais incrível que eu já vi. Luzes para todos os lados, pena que durou pouco. Aproveitei o momento de fascínio e passei a perna no menino-bode. O mesmo arregalou os olhos incrédulo do que eu havia feito. Levantei a perna e lhe dei um chute no meio do escudo. Porém Lacaile não caiu: Ele deu uns flicks para trás e se manteve de pé. Em seu rosto um sorriso de adrenalina.  

Depois que nos olhamos um pouco, Eu avancei, rodando minha espada tripla umas três vezes pela minha lateral, criando um vácuo distorcido. Nossas lâminas se chocaram novamente e eu juro ter visto a espada do meu instrutor se tornar curva do nada. Entretanto lembrei que minha espada podia distorcer a realidade por pouco tempo. Porem, este tempo de admiração, foi o suficiente para que o sátiro de pele branca rodasse no ar e me desse um tapa no rosto com a parte chapada de sua arma. Meu rosto latejou, esquentando na hora. Senti uma dor aguda e automaticamente cuspi um punhado de sangue no chão - Ótimo! - falei limpando o canto da boca e voltando a me concentrar no combate.

Corri até ele, desferindo um corte transverso pela direita, mas o mesmo rodou o escudo e defendeu sem delongas. Ele cruzou o espaço vazio entre mim e ele, mas eu coloquei meu escudo na frente para impedi-lo de continuar. Minha espada estava livre novamente e eu abaixei para rolar a mesma pelo chão, querendo que o garoto-bode caísse. Mas ele saltou e de grátis, deu-me um chute entre meu ombro, peito e clavícula. O impacto me fez ser arrastado por quase três metros. Levantei-me e soprei meus cabelos para que meus fios dourados não embaçassem meu olhar. Molhei os lábios e pisquei profundamente. Quando os abri - Não dorme no ponto!!! - Falou Lacaile saltando bem à minha frente.

O que ocorreu a seguir, aconteceu rápido demais. Ergui o escudo, mas não foi a espada dele que chocou-se ali, mas sim seus cascos. Senti um impacto grande e uma força que me impulsionou para baixo. Meus joelhos fraquejaram e eu cedi, ajoelhando uma das pernas. Um fio de suor escorreu de meu rosto e um sorriso tremulo apareceu ali entre meus lábios. Eu creio que vou perder este combate, mas vai ser de grande valia. Olhei em volta de relance, mas o sátiro não estava ali e, quando dei por mim, a investida já estava acontecendo por cima. Um lampejo, um susto e minhas asas abriram... Impulsionando-me para trás, me dando chance de escapar do corte certeiro da minha derrota eminente.

Assim que me afastei, respirei fundo, mas o sátiro não dava descanso algum. Ele logo estava novamente no ar, pesando seu braço como uma alavanca. Coloquei meu escudo na frente, defendendo-me do grande golpe. Senti grande força reverberando da fonte (Lacaile), passando pelos meus músculos do antebraço. Senti uma espécie de tontura, pois o treino estava puxado demais. Não tive muito tempo pra pensar e o garoto branco já girava o corpo para tentar cortar-me do outro lado. Ergui a espada e me defendi com louvor. Porem, o sátiro não parava e, rodou o corpo de volta para onde estava. Ergui o escudo e me defendi. No mesmo instante, Lacaile já girava o corpo novamente. Ele parecia uma máquina de combate, e eu seu brinquedinho. Ele era rápido demais para que meus movimentos acompanhassem e uma hora, meu braço travou e ele me deu outra chinelada de aço em meu rosto. Dessa vez, acertando o outro lado. Cuspi sangue, sinto arder... mas não caí vencido.

O meu professor olhou-me de cima a baixo, como se me julgasse. Ele tocou o braço e mostrou-me algo curioso - Não é sempre que me acertam... - comentou seco, mas com um sorriso besta no rosto, como se ele tivesse gostado do que estava acontecendo. Meus braços estavam trêmulos e meu joelho direito parecia em frangalhos... Lacaile ergueu uma sobrancelha e deu-me as costas. Acho que o treino havia terminado ali. Fiz um "sim" com a cabeça, como um agradecimento pelo treino e também me coloquei de costas para ir embora dali, mas antes que eu pudesse o fazer - Semana que vem me encontre aqui senhor Abel - falou o sátiro. Eu fiquei todo animado por dentro, mas como não podia perder a pose, permaneci sério ao sair da arena.

(Feedback do Post, pontos de 0 à 20)
*Escrita correta: 19
*Criatividade do texto: 20
*Nível de Combate: 20
*Utilização de Armas: 20
*Interpretação do NPC: 20
Total de Exp: 99

Obs: Sem comentários... Simplesmente fantástico! =3




Sleep and Death walk together



There is no sorrow that sleep doesn't win  ✫@
avatar
Abel O. Drowsiness
Filhos de Hipnos
Filhos de Hipnos

Mensagens : 354
Pontos : 345
Data de inscrição : 17/01/2012
Idade : 25
Localização : Vagando...

Ficha do personagem
HP:
270/270  (270/270)
MP:
270/270  (270/270)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Treino com Espada/Escudo

Mensagem  Noah Z. Vendramini em Ter Maio 20, 2014 4:05 pm

Can U fell my hot sex
heart stop beating?

Era mais um dia Boring  no acampamento. Meu pai ainda não falou comigo depois da turnê de Milão e agora nem sei mais onde ele está. Acho que ele voltou pra Inglaterra para ver minhas irmãs. Guardei as fotos que mantinha comigo desde o internato, colocando-as de volta na gaveta, junto com meu diário. Sim, apesar da minha aparência de bad boy, eu sou bobo o suficiente para escrever bobeiras num diário idiota e feminino.  Todo mundo acha que sou meio fêmea mesmo, So I don’t see the problem.

Quando consegui sair do chalé, fui diretamente para a arena treinar com minha espada. Eu adorava a minha arma e a cada dia ela se torna a minha única paixão. Antes de começar meu treinamento, dei uma piscadela para Lacaile enquanto amarrava minhas botas – I want your help, tem como? - perguntei fazendo careta, passando a mão nos meus cabelos cor de palha. Bati os pés no chão e balancei minha cintura de um lado ao outro, pois eu estava ansioso pela resposta do garoto/bode de Hermes.  Ele apenas moveu a cabeça como um sim e caminhou até mim, tirando do cinto que lhe corre a cintura, uma espada de ferro fundido. Abri um meio sorriso, piscando para o garoto albino e extremamente sexy. Sempre quis uma noite com uma criatura dessa, mas nunca tive a chance para tal feito adorável.

Todos dizem que Lacaile é o melhor espadachim que existe aqui no acampamento, mas acho que posso provar o contrário. I know that I’m not the best, mas posso tentar deixar esse garoto branquinho nervosinho. Costumo dar trabalho. Apesar de ser handsome like hell, eu sou um guerreiro como qualquer um.  Habilidoso e pronto para o combate. A única diferença é que sou mais bonito que os outros rapazes.

Anyway, circulei minha espada pela lateral, passando a mesma para a outra mão, girando os pés pelo tatame da arena, exibindo minha habilidade manual com perícia. Lacaile riu soturno, olhando-me com um certo desdem no olhar. Todo mundo faz isso, mas no fim se arrependem de tê-lo feito. Mordi meus lábios aos poucos, deixando minha boca entreaberta, como um gemido ao final de uma... Você sabe do que estou falando. Meus olhos estavam meio fechados e meus cabelos sobro meu rosto. Tudo em mim grita “SEX” e eu nem sei o motivo. O instrutor colocou sua lâmina de lado e assentiu uma vez, indicando que o treino se iniciaria.  

Ele começou avançando dando saltos de cabra para melhor velocidade em pouco tempo, encurtando nossa distância rapidamente. Ergui minha arma rapidamente e nossas espadas chocaram-se. O grito dos metais em choque era delirante. Abri um sorriso com todos os meus dentes e num empurrão de ambos, nós nos livramos de nós mesmos. Meus tênis deslizaram pela arena, assim como os cascos de Lacaile ecoaram pelo salão de treino. Girei minha espada novamente e fiz igual a ele, Usei minhas coxas e força das panturrilhas para me impulsionar para frente, encurtando nossa distância. Ele deu um passo para trás e escapou de meu golpe, eu abruptamente parei meu movimento e desferi um corte rodopiante pela diagonal direita. O sátiro seu um salto e empunhou a espada de cima a baixo numa alavanca forte. Ergui minha espada negra e nosso equipamento voltou a chocar-se. Nossas lâminas deslizaram uma sobre a outra e voltamos a nos digladiar. Direita – BANG – Esquerda – SLASH – Dois passos para trás, um pra frente e – CLING – movida de ombros furtivamente e uma jogada inesperada – CLANG – Aparecia tudo muito ensaiado e nenhum de nós parecia cansar daquilo.

Meu braço tremia por causa dos impactos e meu cabelo suava, mas eu sabia que não podia desistir agora. Lacaile, também estava muito focado no treino, mas parecia que não estava abalado ou surpreendido pela minha dedicação. Isso me enfureceu um tanto, mas não vou deixar meu orgulho me ferir assim de mão beijada. Lambi meu lábio inferior e voltei a investir contra o filho bode de Hermes. Espada cruzada de direita, um salto para trás, um pra frente, um golpe reto como agulha e um corte horizontal. Ele consegue rasgar minha roupa e em troca eu lhe corto um chumaço de seus fios brancos. Nossas espadas voltam a se chocar uma contra a outra e meus joelhos falham. Mesmo estando morto, parece que um treinamento puxado me trás vida novamente. Eu arfei como se estivesse... Bom, você sabe né... E estreitei as sobrancelhas. Lacaile é mesmo um ótimo espadachim e parece insaciável.

Voltamos a nos separar e a investir um contra o outro por mais dez minutos intermináveis. As pessoas que treinavam até pararam para nos observar. Algumas garotas agarravam a mão uma da outra e sussurravam coisas como “esse Noah é gatinho, espero que ele não perca aqui” ou “Ai... Ele vai se ferir”.  Também pude ouvir uns comentário idiotas de uns filhos de Ares, mas não liguei muito. Lacaile, nesse meio tempo, achou uma brecha e travou minha espada com a dele, metendo um de seus joelhos alvos entre as minhas coxas e me derrubando. Senti o impacto em minhas costas, mas consegui girar meu corpo e fugir de três cortes fortes contra o chão. Quando ergui-me, travei nossas espadas novamente e olhei para o chão. Havia três marcas simétricas uma ao lado da outra. Arregalei os olhos e olhei assustado para o sátiro – OMG!!! – foi tudo o que consegui dizer naquela hora.

O empurrei para longe, mas ele insistia em me massacrar ali mesmo. Golpe atrás de golpe, até que eu só escutasse o barulho de nossas espadas retinindo pelo saguão de treino. Quando percebi, eu estava de costas para uma coluna. Lacaile sentou o braço e eu abaixei. O poder do corte dele era tão grande que fez um talho perfeito e profundo na pedra. Olhei assutado novamente, mas permaneci de pé e, eu mesmo investi contra ele. Minha espada negra correu pelo corpo da espada dele e nosso olhar se cruzou. Senti medo pela segunda vez na vida, mas não arredei dali. O olhar claro do sátiro era extremamente sanguinário e frio. Nada do que eu dissesse pra ele teria uma saída amigável. Acho que ele sentiu as intenções que eu tinha antes de começar o treino e acho que ele vai me regaçar antes que eu peça clemência. Sorri sexy com a ideia de pedir clemência e lhe dei outra espadada firme. Cerrei os dentes fiz força para empurra-lo, mas o bode branco é tão forte quanto eu.

As faíscas caíram no chão e meu suor começou a brotar. Lacaile estava com os cabelos molhados e parecia tão cansado quando eu agora. Arfei rodando minha espada, jogando meus cabelos molhados pra cima. Alguns fios grudaram em meu rosto e minha roupa branca estava colada ao meu peito entalhado. Girei minha espada pela ultima vez e meu professor fez o mesmo. Nossas armas tilintaram e num abrir e fechar de olhos, a espada do garoto finca em meu ombro esquerdo, mas a minha também se encontra no mesmo lugar: no ombro esquerdo de Lacaile. Ele abre um sorriso e eu o correspondo. Ambos tiramos nossas espadas e aguentamos a dor por instantes - Parabéns... - disse meu instrutor de forma fria e me deu as costas. Eu aceitei aquilo de bom grado e bati continência. O sátiro é realmente o melhor instrutor e eu sou um mero filho de Afrodite que teve sorte.

Saí da arena, esperando a minha revanche, mas antes preciso ir ao cemitério para recuperar as minhas forças.


Thanks Lari @ CG


(Pontos de 0 à 20)
♡ Escrita correta: 18
♡ Criatividade do texto: 20
♡ Nível de Combate: 20
♡ Utilização de Armas: 20
♡ Interpretação do NPC: 20
Total de Exp: 98

Adorei o post :3
★Atualizado★
 



Call Me Zombie, Love Zombie
❤️ My beauty never ends honey @ I die, but I back even more amazing  ❤️
avatar
Noah Z. Vendramini
Filhos de Afrodite
Filhos de Afrodite

Mensagens : 33
Pontos : 33
Data de inscrição : 18/05/2014
Localização : Em todo Lugar

Ficha do personagem
HP:
210/210  (210/210)
MP:
210/210  (210/210)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

treino

Mensagem  Aragom C. Mclaster em Qui Jun 05, 2014 5:28 pm


Treino de espada


Sejá o que você far, todos nós nacemos para lutar, se voc~e para você morre.
Eu acordei disposto, disposto a não fazer nada. De qualquer forma tive que levantar e me arrumar para deixar o chalé.
Sabe quando uma pessoa que sempre foi ajidata derrepente fica desanimada? Eu estava assim ho Mas por pouco tempo.Depois de ter me arrumado, sai do chalé e começeia andar aleatóriamamente pelo lugar. Senssação de que estava esquecendo auguma coisa. Lembrei, o treino.
Corri para a arena onde um grupo de pessoas já estava treinando. Fui até uma estante escolher um arma. Fiquei escolhendo mentalmente a melhor delas, finalmente depois de um tempo eu pego uma espada de dois gumes feita de bronze.
Fui andando, enquanto brandia a espada ao lado do corpo, em direção a um dos bonecos de treino. Encarei o boneco quando fiquei de frente para ele. Tomei um pouco de distancia e avancei com um único golpe na horizontal. A ponta da espada cortou o peito do boneco deixando vazar um pouco do matéria com que ele é preenchido, mas o rasco se consertou sozinho.
- Ha, então você se regenera né?
Falo baixo com a animação voltando. Girando a espada no lado do corpo eu me preparo para um novo golpe, dessa vez me adiantando para frente e perfurando com a espada a região onde devia ficar o coração do boneco.
- Se cure dessa.
Nem acabo de falar e tirar  a espada., o furo se concerta. Finjo estar desviando de um golpe  e desfiro um novo golpe na horizontal, agora decapitando o boneco.
- Game Over.
Giro a espada e desfiro outro golpe na vertical, fazendo a espada cortar o  boneco pela metade.
Com um pequeno sorriso eu considero que já estava bom por enquanto, afinal nem tava com tanta animação. Devolvo a espada para a estante e saio da arena.



(Analise do treino, pontos de 0 à 20)
*Escrita correta: 5
*Criatividade do texto: 8
*Nível de Combate: 8
*Utilização de Armas: 10
*Interpretação do NPC: 0
Total de Exp: 31
★Atualizado★
 
 
Bom, a ideia do teu texto é boa, mas você precisa pensar um pouco mais antes de postar. Eu vi muitos erros de estrutura, assim como palavras erradas ou faltando. POREM, você "descreve" bem seus movimentos com a arma e, isso é bom ^^
avatar
Aragom C. Mclaster
Filhos de Ares
Filhos de Ares

Mensagens : 56
Pontos : 60
Data de inscrição : 04/06/2014
Idade : 20
Localização : Ceifando por aí

Ficha do personagem
HP:
190/220  (190/220)
MP:
102/220  (102/220)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Treino com Espada/Escudo

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 6 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum